Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do impacto prognóstico das alterações citogenéticas adicionais ao diagnóstico de uma coorte de pacientes com leucemia mielóide crônica

Processo: 23/17871-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2024
Vigência (Término): 31 de março de 2025
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Katia Borgia Barbosa Pagnano
Beneficiário:Gustavo Emmanuel Alves Abrantes Santos
Instituição Sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Leucemia mieloide   Hematologia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:anormalidades cromossômicas adicionais | Imatinibe | Leucemia Mielóide Crônica | sobrevida global | Hematologia

Resumo

A Leucemia Mieloide Crônica é uma neoplasia mieloproliferativa que representa, aproximadamente, 15% dos casos de leucemia diagnosticados em adultos. Enquanto no passado a taxa de mortalidade era de 10-20%, no presente alcança por volta de 1- 2%. A doença tem como principal característica a presença do cromossomo Filadélfia, resultante de uma translocação recíproca entre os braços longos do cromossomo 9 (ch9) e do cromossomo 22 (ch22), resultando no oncogene quimérico BCR:ABL1, que codifica uma proteína com atividade de tirosina quinase homônima. O diagnóstico é confirmado pela presença de leucocitose no hemograma, cariótipo com a t(9;22) e testes moleculares que demonstram a presença do BCR::ABL1. O tratamento da doença é realizado com inibidores da tirosina quinase. Pacientes tratados no Sistema Único de Saúde (SUS) são tratados com o mesilato de imatinibe em primeira linha, sendo usadas as formulações genéricas desde 2013. Anormalidades cromossômicas adicionais (ACA) presentes ao diagnóstico podem influenciar no curso da doença. O presente estudo tem como objetivo primário avaliar a sobrevida global em pacientes com LMC tratados com imatinibe de acordo com o tipo de ACA ao diagnóstico. Como objetivos secundários, avaliar sobrevida livre de eventos e livre de progressão. Serão avaliados dados clínicos e laboratoriais de uma coorte de pacientes com LMC tratada com imatinibe genérico entre janeiro de 2015 e dezembro de 2018.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)