Busca avançada
Ano de início
Entree

Recuperação da biodiversidade e estoques de carbono na restauração de paisagens florestais

Processo: 24/03424-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2024
Vigência (Término): 30 de abril de 2026
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Acordo de Cooperação: BG E&P Brasil (Grupo Shell)
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Pellegrino Cerri
Beneficiário:Laura Barbosa Vedovato
Instituição Sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Empresa Sede:Universidade de São Paulo (USP). Escola Politécnica (EP)
Vinculado ao auxílio:20/15230-5 - Centro de Pesquisa e Inovação de Gases de Efeito Estufa - RCG2I, AP.PCPE
Assunto(s):Biomassa   LIDAR   Restauração florestal   Sensoriamento remoto
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos | Biomassa | Lidar | monitoramento florestal | restauração florestal | Sensoriamento Remoto | Monitoramento florestal

Resumo

A cobertura floresta no bioma da Mata Atlântica é atualmente composta por diferentes origens, como por exemplo, regeneração natural, plantios de restauração, monoculturas comerciais, áreas de floresta degradada, entre outras. Além disso, possuem diferentes idades, composição florística e estruturas variadas, tendo diferentes impactos de mercado com sua diversidade. Compreender a dinâmica dos estoques de carbono acima do solo (AGC) em florestas em restauração é essencial para apoiar acordos internacionais de restauração florestal e da Década de Restauração Ecológica da ONU.O monitoramento de áreas restauradas com diferentes usos prévios da terra e com diferentes estratégias de restauração é de grande importância para se quantificar estoque de carbono e avaliar serviços ecossistêmicos, como biodiversidade, e proteção do solo e da água. Novas abordagens de sensoriamento remoto revolucionaram a maneira como monitoramos a diversidade, a estrutura e o funcionamento das florestas, e podem desempenhar um papel fundamental no rastreamento do avanço dos programas de restauração.As estimativas de AGC são geralmente realizadas de forma indireta (não destrutiva) usando modelos alométricos desenvolvidos em florestas maduras. Pouco se sabe sobre as relações alométricas dos indivíduos (diâmetro, altura e biomassa das árvores) e da paisagem (estrutura do dossel e AGB florestal) das florestas em restauração. Pela lacuna de equações e estudos de dinâmica de carbono em florestas restauradas, é comum utilizar equações generalizadas para florestas tropicais para essa estimativa de carbono, adicionando muitas incertezas as estimativas. Neste projeto, exploraremos tecnologias de sensoriamento remoto, para gerar equações específicas advindas de métricas lidar para estimar carbono acima do solo em diferentes tipos de restauração. A partir dos resultados gerados será possível quantificar as incertezas associadas ao uso de equações generalizadas para estimativa de carbono em florestas restaurada, assim como as equações com menores incertezas para cada tipo de restauração.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)