Busca avançada
Ano de início
Entree

Toxicidade perinatal do cádmio: efeitos tardios sobre a próstata de ratos adultos

Processo: 10/05979-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Wellerson Rodrigo Scarano
Beneficiário:Viviane Paiva Santana
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu, SP, Brasil
Assunto(s):Cádmio   Toxicidade   Reprodução animal   Imuno-histoquímica

Resumo

Estudos recentes indicam a existência de diversas anomalias no sistema reprodutor masculino que podem ser ocasionadas pela exposição aguda ou crônica a substâncias químicas. Dentre essas substâncias destacam-se os metais pesados, como o cádmio, que com o rápido e crescente desenvolvimento industrial é liberado para o meio ambiente contaminando a água, o ar, o solo e os organismos. A planta do tabaco é capaz de absorver ativamente cádmio do solo contaminado, assim sendo, o hábito de fumar favorece a exposição crônica ao metal. O Cádmio pode funcionar como desregulador endócrino modificando as funções reprodutivas, interferindo no desenvolvimento dos órgãos e glândulas anexas. Tendo em vista a relação entre fatores epigenéticos como fatores nutricionais, drogas e agentes tóxicos ambientais e a carcinogênese em diversos órgãos e, a grande incidência do câncer de próstata, sendo este a primeira causa de morte por câncer, entre os homens, este estudo tem por objetivo avaliar os efeitos da exposição perinatal (gestação e amamentação), fase essa essencial para o desenvolvimento da próstata, ao cádmio, em indivíduos adultos expostos previamente. Os animais submetidos à exposição serão mortos no 90º dia por decapitação para a coleta do sangue destinado a dosagem hormonal e a próstata serão coletadas, o seu lobo ventral pesado e fragmentos da parte distal fixados por imersão em formalina tamponada e incluídos em paraplast. Cortes de 4-6 µm serão obtidos em micrótomo e destinados a reações citoquímicas: H&E, Picrossírius-hematoxilina e reticulina de Gömöri; em lâminas sinalizadas, os cortes histológicos serão submetidos às reações imunohistoquímicas para análise semi-quantitativa do receptor de andrógeno (AR). Análises morfométrico-estereológicas serão realizadas para mensurar a proporção relativa dos componentes teciduais. (AU)