Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do estresse térmico de linfócitos sobre o fenótipo e função de células híbridas dendríticas-linfocitárias

Processo: 09/06095-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Jose Alexandre Marzagão Barbuto
Beneficiário:Karen Steponavicius Piedade Cruz
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/09956-0 - Modulação funcional de células dentríticas em diferentes situações fisiopatológicas, AP.TEM
Assunto(s):Efeitos da temperatura   Estresse térmico   Linfócitos   Células dendríticas

Resumo

Células dendríticas (DCs) são as principais células apresentadoras de antígenos e sua geração in vitro é de grande interesse em protocolos de imunoterapia. Este tipo celular apresenta grande heterogeneidade funcional e a elucidação dos fatores que influenciam essa característica pode permitir ganho na eficiência de seu uso como imunomoduladoras. Dentre esses fatores, a temperatura tem sido pouco estudada, apesar das evidências que indicam um papel claro da febre sobre a resposta imune. Uma vez que temos usado células híbridas dendríticas-tumorais como estimuladoras de resposta antitumoral em pacientes com câncer, nosso objetivo neste projeto é investigar o efeito da exposição de linfócitos à temperatura febril sobre o fenótipo e a função imunoestimuladora de células hibridas geradas pela fusão destes, a células dendríticas alogênicas. Pretendemos analisar o efeito da exposição dos linfócitos a diferentes temperaturas (37ºC, 40ªC e 42ºC), avaliando o fenótipo de membrana (CD4, CD8, CD19, CD25, CD56, MHC II, MHC I) das células e sua produção espontânea de citocinas (IL-2, IL-4, IL-10, IFN-³), através de citometria de fluxo e ELISA, respectivamente. Avaliaremos também a atividade aloestimuladora de células híbridas geradas pela fusão destes linfócitos a DCs, em ensaios de proliferação, determinando o fenótipo das células respondedoras (CD4+ e CD8+) e o padrão de citocinas produzido nas culturas (IL-2, IL-4, IL-10, IFN-³). (AU)