Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do padrão migratório e efetor das células encefalitogênicas e reguladoras durante a evolução clínica da encefalomielite experimental autoimune induzida em ratos Lewis e camundongos C57BL/6 (WT e IFN³(KO)

Processo: 09/15620-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2010
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Leonilda Maria Barbosa dos Santos
Beneficiário:Alessandro dos Santos Farias
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil

Resumo

A Esclerose múltipla (EM) é uma doença neurológica complexa que acomete adultos jovens. Muito do conhecimento adquirido nas últimas décadas sobre os mecanismos envolvidos nos processos de desmielinização na EM se deve aos estudos conduzidos no modelo experimental a Encefalomielite experimental autoimune (EAE). A EAE foi descrita como uma patologia mediada por linfócitos T CD4+, mais especificamente do subtipo Th1. No entanto, mais recentemente o subtipo Th17 mostrou um envolvimento importante na gênese e evolução da doença. Em função da participação das respostas Th1 e/ou Th17 nós utilizaremos animais knockout para IFN³ que possibilita o estudo da doença na ausência da resposta Th1. Essa estratégia possibilitará entender melhor a ação da resposta efetora das células Th17 isoladamente. Apesar de ser mediada por linfócitos T CD4+, a EAE e possivelmente a EM, é resultado da participação de diversos tipos celulares como: linfócitos B, linfócitos T CD8+, células dendríticas etc. Além da participação dessas células com função efetora, outras células podem estar agindo como reguladoras, participando do balanço imunológico e consequentemente no controle na resposta autoagressiva. O estudo das células reguladoras fica por vezes limitado pelo fato dessas células poderem apresentar os mesmos marcadores que as células efetoras. Desta forma, o estudo usando células efetoras previamente marcadas permite a sua diferenciação das demais células que podem migrar para o sistema nervoso central juntamente com aquelas células. Usando nossa experiência, adquirida durante o programa de doutorado, de marcação celular por transfecção retroviral será possível diferenciar as células T CD4+ efetoras das outras células presentes no sistema nervoso central durante a evolução da doença. Diante do exposto é nosso objetivo nesse projeto, os estudo das células efetoras e reguladoras durante a evolução clínica da EAE. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FARIAS, ALESSANDRO S.; MARTINS-DE-SOUZA, DANIEL; GUIMARAES, LEANDRO; PRADELLA, FERNANDO; MORAES, ADRIEL S.; FACCHINI, GUSTAVO; NOVELLO, JOSE CAMILLO; SANTOS, LEONILDA M. B. Proteome analysis of spinal cord during the clinical course of monophasic experimental autoimmune encephalomyelitis. PROTEOMICS, v. 12, n. 17, SI, p. 2656-2662, AUG 2012. Citações Web of Science: 10.
FARIAS, ALESSANDRO S.; TALAISYS, RAFAEL L.; BLANCO, YARA C.; LOPES, STEFANIE C. P.; LONGHINI, ANA LEDA F.; PRADELLA, FERNANDO; SANTOS, LEONILDA M. B.; COSTA, FABIO T. M. Regulatory T Cell Induction during Plasmodium chabaudi Infection Modifies the Clinical Course of Experimental Autoimmune Encephalomyelitis. PLoS One, v. 6, n. 3, p. e17849, 2011. Citações Web of Science: 20.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.