Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma análise acerca das ações judiciais de Plínio, o Jovem, sobre ex-governadores provinciais (séculos I-II d.C.)

Processo: 09/18556-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Antiga e Medieval
Pesquisador responsável:Margarida Maria de Carvalho
Beneficiário:Dominique Monge Rodrigues de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Franca. Franca , SP, Brasil

Resumo

O objetivo dessa pesquisa é analisar as funções político-administrativas do Senado romano, dentre elas as funções judiciárias, dando ênfase para as relações de poder, em um período onde esta instituição perde a sua força centralizadora com o advento da figura do princeps. Acreditamos que apesar da figura do princeps se sobrepor à do Senado, os senadores continuavam a ter um papel primordial na política e administração do Império. Nesse sentido, faz-se necessário a análise das relações interpessoais, que, ao determinar a ascensão do indivíduo à carreira senatorial e o desenvolvimento do seu cursus honorum, relacionado com as magistraturas exercidas, influenciava na administração imperial. Nesse contexto de modificações dentro do Senado romano, a função judiciária ganha maior notoriedade, pois passa a ser cada vez mais incorporada pelo Senado. Na década de 20 d.C., já podemos encontrar uma corte senatorial estabilizada (TALBERT, 1984: 461). A análise dessa função judiciária do Senado possibilita uma melhor compreensão do sentido atribuído a essa instituição. Para tanto, utilizaremos como referência documental 15 epístolas de Plínio, o Jovem, representante do Senado, que têm como temática principal as atuações daquele autor perante tal instituição na acusação ou defesa de ex-governadores provinciais, em casos de corrupção e extorsão. Essas 15 epístolas fazem parte das Cartas de Plínio, o Jovem, composta por 368 cartas dividas em 10 livros. Esta pesquisa compreende os governos dos imperadores Domiciano (81-96 d.C.), Nerva (96-98 d.C.) e Trajano (98 d.C-117 d.C.). (AU)