Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da desigualdade ambiental com apoio de geotecnologias: diagnósticos e subsídios as políticas públicas e planejamento sócio ambiental urbano nos municípios do médio Paranapanema - SP.

Processo: 07/03993-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 31 de agosto de 2008
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia
Pesquisador responsável:Andrea Aparecida Zacharias
Beneficiário:Julio César Pedrassoli
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ourinhos. Ourinhos , SP, Brasil
Assunto(s):Planejamento territorial urbano   Urbanização   Política ambiental   Qualidade de vida urbana   Análise socioambiental

Resumo

Atualmente a urbanização faz com que muitas cidades tornem-se cada vez mais ambientalmente inadequadas para a qualidade de vida. A falta de planejamento e políticas públicas municipais, a concentração da população, o índice de poluição, o aumento da verticalização, a falta muitas vezes de infraestrutura e equipamentos coletivos urbanos, bem como o adensamento de áreas construídas e impermeabilizadas, podem ser alguns dos agentes explicadores. Neste sentido, o termo desigualdade ambiental é uma expressão, que recentemente vem aparecendo em trabalhos acadêmico-científicos, para avaliar a qualidade de vida urbana, em detrimento das disparidades sofridas por setores da população mediante as condições ambientais precárias ou de risco. Para tanto, muitos métodos vêm sendo empregados, sendo que, o apoio de geotecnologias, através da integração entre o Sensoriamento Remoto e os Sistemas de Informação Geográfica (ISRSIG) mostra-se de extrema adequabilidade. Primeiro por possibilitar através da cartografia de síntese, uma espacialização da qualidade de vida urbana. E segundo pelo grande potencial de integração e flexibilidade de informações que permitem o estudo do ambiente urbano indicando os municípios com maiores e/ou menores vulnerabilidades à ausência de água, esgotamento sanitário, fossa séptica, coleta de lixo, analfabetismo entre outros indicadores essenciais para o planejamento ambiental, em escala municipal como regional. Com este propósito a avaliação da qualidade ambiental, em escala regional, esta pesquisa tem como objetivo mapear a desigualdade ambiental como subsídio às políticas públicas e planejamento socioambiental urbano nos municípios que perfazem a UGRHI do Médio Paranapanema-SP. Dada a abrangência da área de estudo, a qual envolve 42 municípios, para efeito de teste e avaliação da metodologia, a pesquisa será aplicada, preliminarmente, na sub-bacia do Rio Turvo e, diante dos resultados obtidos, adotá-la modelo nos demais municípios do Médio Paranapanema e, futuramente ampliar à toda bacia do Paranapanema. A proposta aqui estabelecida abarca a utilização da metodologia apresentada por Morato et al. (2002) que apresentam três dimensões/indicadores - a qualidade ambiental; o nível socioeconômico e a educação - para obter o mapa síntese da desigualdade ambiental, entre os setores censitários, de cada município. Convém destacar que para avaliar a vegetação urbana esta pesquisa utilizará os Índices de Diferença de Vegetação Normativa (NDVI), extraídos dos produtos orbitais LANDSAT-7 e SPOT-4. Ao passo que para obter os parâmetros para o calculo de cada Índice, seguirá os mesmos critérios da ONU quando no cálculo do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). (AU)