Busca avançada
Ano de início
Entree

Pessoa, grupo e comunidade: as contribuições de Nicolas Berdiaev para a problemática da culturanálise de grupos e a educação fática

Processo: 00/06481-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2001
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2001
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Tópicos Específicos de Educação
Pesquisador responsável:Jose Carlos de Paula Carvalho
Beneficiário:Denis Domeneghetti Badia
Instituição-sede: Faculdade de Educação (FE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

Desde o conflito entre a psicologia de Tarde e a sociologia de Durkheim, ocorreu uma desfiguração, onde a pessoa se reduz ao indivíduo e o grupo à sociedade global, criando-se uma polarização indivíduo/sociedade, que remete à ideologia do individualismo romântico e à ideologia do holismo social. Por sua vez, a reação sociológica e antropológica, remetendo a Tönnies como fonte da polarização sociedade/comunidade não foi mais feliz, pois foi tributária da mesma ideologia liberal e romântica do comunalismo utópico. O personalismo na filosofia da cultura, refletindo sobre as noções de pessoa, grupo e comunidade, sobretudo Berdiaev, propuseram um redimensionamento da temática. Pelas suas ligações de ativista, extremamente conflitivas, tanto no marxismo quanto no cristianismo ortodoxo, Berdiaev elabora uma crítica contra as "objetivações" (reificações e alienações) e as "servidões" institucionais, centrando sua reflexão nessas manifestações sócio-históricas do "mal meôntico" (o espírito de negação do princípio fundamental da liberdade e da noção de pessoa), infletidas no sentido de um pensamento libertário e anarquista. Solidarizando-se com a visão de homem e a hermenêutica da cultura do Círculo do Eranos - que posteriormente daria origem à Escola de Grenoble, cuja antropologia do Imaginário origina a culturanálise de grupos e a educação fática - poderíamos dizer que o imaginário de Berdiaev, enquanto "ideário", polariza-se em torno da noção de "sobornost" que, como "comunhão", permite repensar a comunidade - essa é sua contribuição específica para a culturanálise de grupos - e, enquanto "imageria", polariza-se em tomo da imagem simbólica da "teandria" que, como "princípio da divino-humanidade" do homem, da liberdade e do sentido do ato criador, permite repensar tanto o grupo quanto a pessoa - essa é sua contribuição específica para a educação fática. "Sobornost" e "teandria" alicerçam a noção de pessoa e permitem centrar a reflexão sobre a “dimensão ética” da educação fática e sobre uma possível “sociagogia para os grupos vinculares” em culturanálise de grupos. (AU)