Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel de componentes de matrix extracelular e de prolactina na cultura de ilhotas pancreáticas humanas

Processo: 02/05852-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2003
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Mari Cleide Sogayar
Beneficiário:Leticia Labriola
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:01/10707-7 - Bases moleculares do controle da proliferação celular e origem de neoplasias na era de genômica e proteômica, AP.TEM

Resumo

A terapia celular do diabetes baseada no transplante de ilhotas pancreáticas, constitui uma alternativa promissora para atingir a normoglicemia. Esta prática terapêutica apresenta menor nível de riscos e complicações do que o transplante de pâncreas, órgão total, prometendo ser a cura para alguns tipos de pacientes diabéticos. Um estudo mais aprofundado dos mecanismos envolvidos na proliferação de ilhotas pancreáticas e na síntese e secreção de insulina pelas células β permitiria identificar a importância na sua adaptação à demanda de insulina produzida por condições fisiológicas. Neste projeto propõe-se: a) Aperfeiçoar e otimizar o isolamento, a purificação e a preservação de ilhotas pancreáticas humanas a partir de órgãos captados de doadores cadavéricos. b) Reconstituir o microambiente pancreático através do cultivo de ilhotas isoladas na ausência e na presença de componentes da matriz extracelular, de modo a maximizar sua sobrevivência e funcionalidade, c) Estudar as vias de transdução de sinais ativadas pelo hormônio lactogênico prolactina, que é indutor tanto da proliferação de células p quanto da síntese e secreção da insulina, d) Analisar a atividade funcional das ilhotas isoladas e mantidas em diferentes condições de cultura, visando maior sucesso no transplante. O desenvolvimento deste projeto permitirá aportar novas ferramentas para a utilização desta nova alternativa terapêutica para pacientes diabéticos. (AU)