Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da ação sinérgica de microRNAs com o gene AIRE (autoimmune regulator) no controle da expressão gênica promíscua em células tímicas epiteliais medulares (mTEC)

Processo: 08/51412-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunogenética
Pesquisador responsável:Geraldo Aleixo da Silva Passos Júnior
Beneficiário:Claudia Macedo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil

Resumo

O projeto atual está dentro da linha de genética molecular da tolerância imunológica e refere-se ao estudo do controle da expressão gênica promíscua (PGE) de antígenos relacionados a tecidos (TRAs) em células medulares do epitélio tímico (mTECs). A observação de que células mTEC expressam milhares de antígenos representando a maioria, se não todos, os tecidos e órgãos, fenômeno este denominado expressão gênica promíscua (PGE), está nos levando a repensar e a redesenhar o mecanismo da tolerância central das células T. A descoberta do gene Aire (auto-imune regulador), que é um fator de transcrição, como principal controlador da PGE, foi um marco importante no desenho deste mecanismo. Entretanto, outros elementos controladores certamente atuam em sinergismo com o gene Aire, pois esse não deve ter a abrangência de controlar sozinho a transcrição de milhares de TRAs. Portanto, os mecanismos moleculares precisos do controle da PGE não estão ainda inteiramente elucidados. Para este projeto, formulamos a hipótese de que além de Aire, os microRNAs também auxiliam no controle da PGE. Os microRNAs são um grupo de pequenos RNAs (20 a 23 nt) de células eucarióticas, não codificadores, distintos mas relacionados com os RNAs de interferência (RNAi) que controlam a meia-vida de RNAs mensageiros (RNAm) alvos e suas taxas de tradução em proteínas. Para testar essa hipótese utilizaremos o método de silenciamento gênico (RNAi) contra os transcritos de Aire e de Dicer, este último codificando uma ribonuclease mediadora do processamento final dos microRNAs. Seguiremos com a tecnologia dos microarrays para a análise da expressão diferencial de RNAm de TRAs e de microRNAs aliada a programas de bioinformática como o Cluster e TreeView e SAM (significance analysis of microarrays) para observarmos a expressão diferencial e o GeneNetwork que permite a reconstrução de redes gênicas. (AU)