Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo entre o treinamento de resistência muscular e de força muscular em idosas submetidas a artroplastia total dos joelhos

Processo: 08/55365-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2008
Vigência (Término): 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Arnaldo Jose Hernandez
Beneficiário:Larissa Souza Sandon
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Artroplastia   Idosos   Treinamento   Joelho   Força muscular

Resumo

As artroplastias totais do Joelho buscam oferecer melhor qualidade de vida aos pacientes portadores de osteoartrose grave dessa articulação. Estudos demonstram ocorrer uma queda no nível de atividade física após esse procedimento e programas de atividade física que melhorem a qualidade de vida desses indivíduos são desejáveis. O objetivo do presente estudo é o de comparar os efeitos do treinamento de resistência muscular com os do treinamento de força muscular em pacientes idosas, entre 60 e 79 anos de idade, submetidas a artroplastia total dos joelhos que preencham os critérios de C, inclusão do estudo. Serão avaliadas 40 pacientes, separadas em dois grupos de 20, de forma prospectiva e randomizada; correspondendo, cada um deles, aos tipos de treinamento investigado. No primeiro grupo serão realizados treinamentos com aquecimento, alongamentos e caminhadas. No segundo aquecimento, alongamentos e fortalecimento com faixas elásticas. As pacientes serão submetidas à avaliação metabólica por meio do teste de 6 seis minutos de caminhada, avaliação de força muscular da coxa por meio de teste isocinético (Cybex 6000®) e avaliação do controle postural por meio; da variação da projeção do centro de gravidade (Balance Master®). Os treinamentos ocorrerão em duas fases: fase I -12 semanas de treinamento supervisionado, três vezes por semana, e fase 11-12 semanas de treinamento domiciliar, três vezes por semana, com intervalo de quatro semanas entre as duas fases. As avaliações serão realizadas em quatro momentos distintos: 1) antes do início dos treinamentos da fase 1, 2) ao final da fase 1,3) um mês após o término da fase I e antes do início da fase II, e 4) ao final da fase II. Os resultados serão analisados estatisticamente para verificar se esses efeitos são semelhantes, ou não, e se existem diferenças entre o treinamento supervisionado e o domiciliar. (AU)