Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do treinamento físico intervalado de alta intensidade na musculatura esquelética em modelo experimental de insuficiência cardíaca induzida por infarto do miocárdio

Processo: 08/04669-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2008
Vigência (Término): 31 de outubro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Patricia Chakur Brum
Beneficiário:Jose Bianco Nascimento Moreira
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Infarto do miocárdio   Fisiologia do exercício   Insuficiência cardíaca

Resumo

Caracterizada pela incapacidade cardíaca no suprimento sanguíneo adequado ao organismo, a insuficiência cardíaca (IC) apresenta grandes taxas de incidência, mortalidade e internação, além de consumir grande parte do orçamento da saúde (Albanesi Filho, 1998). Dentre os principais sintomas da doença estão os prejuízos da musculatura esquelética, comprovadamente os principais causadores da baixa tolerância ao exercício físico observada nos pacientes (Franciosa et al., 1981). Sendo assim, o estudo do efeito do treinamento físico na IC é de importância substancial, já que os tratamentos convencionais com utilização de fármacos mostram-se incapazes de melhorar a tolerância ao esforço físico dos pacientes, conseguida apenas por meio do exercício físico regular. Além disso, o treinamento físico promove aumento da potência aeróbica (Belardinelli et al., 1999), melhoria do balanço simpato-vagal (Coats et al., 1992), do metabolismo e do trofismo muscular (Adamopoulos et al., 1993). Com isso, faz-se importante o estudo da musculatura esquelética na IC, bem como suas adaptações após um programa de treinamento físico. A vasta maioria dos estudos sobre o tema utilizou protocolo de treinamento contínuo, ou seja, sem mudança na intensidade de exercício durante as sessões. No entanto, evidências mostraram que um protocolo de treinamento intervalado permite o alcance de intensidades mais altas de exercício e de melhores resultados nas variáveis cardiovasculares (Dimopoulos et al., 2006; Wisloff et al., 2007). A partir disso, a proposta do presente projeto é avaliar eficácia e segurança do treinamento intervalado nas modificações causadas pela IC em modelo animal, com enfoque principal nas adaptações da musculatura esquelética (trofismo e fenótipo em músculos com características diferentes), comparando-as aos resultados obtidos após prescrição de protocolo do treinamento classicamente utilizado nas investigações científicas, visto que estudos sobre este tema específico são escassos e os resultados obtidos podem futuramente colaborar para a melhora da qualidade de vida dos portadores de IC.