Busca avançada
Ano de início
Entree

Corrosao intergranular de aco inoxidavel ferritico: avaliacao atraves de metodo eletroquimico.

Processo: 00/12045-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2001
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2002
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Pesquisador responsável:Neusa Alonso-Falleiros
Beneficiário:Rogério Felipe Pires
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Aço inoxidável

Resumo

O aço inoxidável ferrítico pode sofrer corrosão intergranular e, como no caso da maioria dos aços inoxidáveis, o mecanismo pode ser explicado através do empobrecimento do teor de cromo nas vizinhanças dos contornos de grão, empobrecimento este, causado pela precipitação de carbonetos de cromo. O grau de susceptibilidade a este tipo de corrosão pode ser determinado através da técnica eletroquímica de Reativação Potenciodinâmica (EPR). Esta técnica foi desenvolvida inicialmente para aços inoxidáveis austeníticos (norma ASTM G108) e atualmente vem sendo aplicada (com modificações) para aços inoxidáveis martensíticos. Não há registros na literatura da aplicação desta técnica para os aços inoxidáveis ferríticos. Por isso, o objetivo deste trabalho é avaliar a resistência à corrosão intergranular do aço inoxidável UNS S43000 através de método eletroquímico EPR (na versão duplo loop: DL-EPR), verificando a aplicabilidade deste método para este material, e, em sendo viável sua aplicação, determinar o grau de sensitização em função de tratamentos térmicos específicos. Também será empregada a prática W da norma ASTM A 763, que consta de um ataque eletrolítico com ácido oxálico, o qual indica a presença de carbonetos. A morfologia da corrosão será examinada em microscópio óptico e eletrônico de varredura. (AU)