Busca avançada
Ano de início
Entree

Aproveitamento pela cultura da cana-de-açúcar do nitrogênio (15N) dos resíduos culturais gerados na colheita mecânica de canavial sem despalha a fogo.

Processo: 08/02723-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2008
Vigência (Término): 31 de março de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Paulo Cesar Ocheuze Trivelin
Beneficiário:Danilo Alves Ferreira
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:02/10534-8 - Rendimento da cana-de-açúcar em ciclos consecutivos associado ao efeito residual e as transformações de N e S no solo, em sistema conservacionista, AP.TEM
Assunto(s):Adubação   Cana-de-açúcar   Palhada   Nitrogênio

Resumo

O trabalho faz parte do Projeto Temático FAPESP (Proc. 02/105434-8), coordenado pelo Prof. Dr. Paulo C. O. Trivelin. O estudo iniciou-se no ciclo de cana-planta e está sendo conduzido em cana-soca com colheita sem a queima prévia. Os experimentos estão localizados em três solos distintos, em um Latossolo Vermelho distrófico típico, Latossolo Vermelho Amarelo eutrófico (ambos de textura média) e em um Latossolo Vermelho eutrófico (argiloso), respectivamente nas Usinas Santa Adélia (Jaboticabal-SP), São Luiz (Pirassununga-SP) e São Martinho (Pradópolis-SP). O delineamento experimental é o de blocos casualizados com parcelas subdivididas, com quatro repetições. Os tratamentos principais são doses de N-uréia (0, 40, 80 e 120 kg ha-1de N), aplicadas no sulco de plantio, e as subparcelas doses de N (0, 50, 100 e 150 kg ha-1 de N) aplicados após o 1º corte, sobre a palha. Nas subparcelas que receberam 80 kg ha-1 de N no plantio associado ao tratamento controle (sem N) na soqueira, foram instaladas microparcelas onde a palha original foi substituída por palha marcada no isótopo 15N (1,07 % em átomos de 15N). O objetivo é estudar a recuperação do N da palhada pela cana-de-açúcar após um e dois anos de permanência da mesma no campo. Para tanto, nas colheitas da cana-soca (2° e 3° corte) será coletada a parte aérea da cana-de-açúcar (colmos, folhas secas e ponteiros) nas três áreas experimentais, sendo o material posteriormente moído para determinação da massa seca e analisado quanto aos teores de N e 15N, por espectrometria de massa.