Busca avançada
Ano de início
Entree

Produtividade e tempo de decomposição de massa seca de plantas forrageiras em função de épocas de semeadura e seu efeito sobre a produtividade da soja em sucessão no Cerrado

Processo: 09/11264-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2009
Vigência (Término): 30 de setembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Marcelo Andreotti
Beneficiário:Nelson de Araujo Ulian
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Manejo do solo   Latossolos   Soja   Palhada   Glycine max   Cerrado

Resumo

A manutenção de palha sobre o solo em sistema plantio direto garante o sucesso deste quanto a proteção contra a erosão e também, após decomposição dos resíduos, aumento nos teores de M.O., fundamental na reciclagem de nutrientes. Assim sendo, para manutenção da palha, principalmente em condições de alta temperatura e pluviosidade, como no Cerrado Brasileiro, são preferíveis plantas que apresentam maior relação C/N, e conseqüentemente, de tempo relativamente maior na decomposição. Assim, o presente trabalho objetivará, para um Latossolo Vermelho Distroférrico, avaliar, em diferentes épocas de semeadura, a produtividade de massa seca, bem como o tempo de decomposição desta e a composição bromatológica do sorgo forrageiro, milheto e Brachiaria ruziziensis em condições de cerrado, semeados em 3 épocas (1ª quinzena de setembro, final da 2ª quinzena de setembro e meados da 2ª quinzena de outubro). O trabalho será desenvolvido na FEPE - Setor de Produção Vegetal, da Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira (FE/UNESP), localizada no município de Selvíria-MS. O experimento será instalado em delineamento de blocos casualizados, em arranjo fatorial 3 x 3, ou seja, 3 espécies forrageiras e 3 épocas de semeadura (manejadas no pleno florescimento), com 4 repetições. No momento do manejo das plantas serão coletadas amostras para determinação da massa fresca e posterior massa seca da qual serão determinados teores de N, FDN, FDA, LIG, CZ, PB, NDT, hemicelulose e celulose, além dos teores de P, K, Ca, Mg, S, Cu, Fe, Mn e Zn. A cada 30 dias após o manejo será avaliado o remanescente de palha sob o solo, para determinação do tempo de decomposição. Sobre esta mesma palhada, no mês de novembro/dezembro, será semeada a cultura da soja em sistema plantio direto para avaliar o efeito destas plantas forrageiras sobre os componentes da produção e produtividade de grãos de soja.