Busca avançada
Ano de início
Entree

Cultivo de Gracilaria domingensis (Kützing) Sonder ex Dickie e G. caudata J. Agardh (Gracilariales, Rhodophyta) a partir de esporos visando a produção sustentável de matéria-prima para a extração de ágar

Processo: 07/56477-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2008
Vigência (Término): 21 de abril de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Nair Sumie Yokoya
Beneficiário:Cristalina Yoshie Yoshimura
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

As macroalgas marinhas são cultivadas há muito tempo em diversos países, em sua maioria asiáticos, principalmente para a produção de alimento humano e para a extração de hidrocoloides. Na última década, tem-se verificado um crescente interesse nas propriedades farmacológicas dos metabólitos secundários produzidos pelas macroalgas marinhas, ampliando o espectro de utilização deste importante recurso renovável marinho. Entretanto, para atender a esta maior demanda, novas metodologias de cultivo de macroalgas marinhas precisam ser investigadas e a viabilidade destas avaliada, especialmente no caso do Brasil, onde a biomassa disponível nos bancos naturais é baixa. O cultivo a partir de esporos aparece como uma alternativa para incrementar a produção de biomassa das macroalgas, e recomendável por preservar as populações naturais. Assim, este trabalho se propõe a investigar as bases biológicas para estabelecer o cultivo a partir de esporos de Gracilaria caudata J. Agardh e de G. domingensis (Kützing) Sonde r ex Dickie (Gracilariales, Rhodophyta) em substratos artificiais e avaliar a sua produtividade no mar. Os objetivos específicos do projeto são: 1. avaliar os efeitos da temperatura, irradiância e meios de cultura na liberação, fixação, germinação e sobrevivência de carpósporos e tetrásporos bem como no desenvolvimento de plântulas; 2. testar diferentes tipos de substratos artificiais para a fixação de esporos e avaliar o desenvolvimento de plântulas haploides e diploides em laboratório, em tanques e no mar; 3. testar diferentes distâncias de "semeadura" entre talos cistocárpicos ou tetraspóricos e os substratos artificiais; 4. avaliar o desenvolvimento das mudas de ambas espécies cultivadas no mar em diferentes épocas do ano; 5. avaliar a produtividade do cultivo e 6. avaliar o rendimento e a qualidade do ágar da matéria-prima originada dos cultivos a partir de esporos de G.caudata e G. domingensis. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)