Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema reprodutivo e testes de inter-fertilidade em Tabebuia roseo-alba (Bignoniaceae)

Processo: 07/58510-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Nelson Sabino Bittencourt Junior
Beneficiário:Gabriel Gandolphi
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/59234-4 - Sistemas reprodutivos e análise histológica dos eventos posteriores à polinização em espécies auto-férteis e auto-estéreis de Bignoniaceae, AP.JP
Assunto(s):Embriologia vegetal

Resumo

Trabalhos recentes indicam o predomínio da auto-incompatibilidade de ação tardia como sistema reprodutivo em Bignoniaceae, embora estes estudos tenham sido feitos em apenas 5% das espécies desta família. A despeito disso, a auto-fertilidade e a poliembrionia têm sido verificadas em algumas espécies. Existem trabalhos publicados sobre biologia reprodutiva de algumas espécies de Tabebuia, mas ainda não há registro de estudos sobre o sistema reprodutivo de Tabebuia roseo-alba, embora análises preliminares tenham indicado a auto-esterilidade (dados pessoais). O presente projeto tem como objetivo investigar o sistema reprodutivo em Tabebuia roseo-alba através de experimentos de polinizações controladas, análise do desenvolvimento in situ dos tubos polínicos por microscopia de fluorescência e análise histológica dos eventos posteriores à polinização em pistilos autopolinizados vs. submetidos à polinização cruzada. Inflorescências em pré-antese serão ensacadas com sacos de papel para impedir o acesso de visitantes florais. Nos dias subseqüentes, flores em primeiro dia de antese serão polinizadas manualmente, conforme os tratamentos acima citados, marcadas e re-ensacadas para o monitoramento da frutificação. Para o estudo do desenvolvimento dos tubos polínicos, os pistilos serão fixados em FAA50, clarificados, corados com azul-de-anilina e examinados em microscópio de epi-fluorescêncía. Para as análises histológicas, os pistilos serão fixados em glutaraldeído/paraformaldeído e infiltrados em historesina para obtenção de secções microtômicas. As secções serão coradas em azul-de-toluidina e analisadas e fotografadas em fotomicroscópio. Será também verificada a longevidade de pistilos autopolinizados vs. não-polinizados, bem como a viabilidade de grãos de pólen e das sementes, através de testes de germinação. Por fim, como teste de inter-fertilidade, serão realizadas polinizações cruzadas entre Tabebuia roseo-alba e outras espécies de Bignoniaceae. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GABRIEL GANDOLPHI; NELSON SABINO BITTENCOURT JR. Sistema reprodutivo do Ipê-Branco: Tabebuia roseo-alba (Ridley) Sandwith (Bignoniaceae). Acta Botanica Brasilica, v. 24, n. 3, p. -, Set. 2010.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.