Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações induzidas pelo treinamento físico na pressão arterial e na musculatura esquelética em ratos tratados com dexametasona

Processo: 08/00152-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Sandra Lia do Amaral Cardoso
Beneficiário:Matheus Barel
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Óxido nítrico   Pressão sanguínea   Exercício físico   Fisiologia do exercício   Glucocorticoides

Resumo

Embora a dexametasona (Dexa) seja amplamente utilizada em tratamento de inflamações e alergias, provoca efeitos colaterais tais como alteração no metabolismo de açúcar, lipídio e proteína, determinando patologias como diabetes, obesidade e hipertensão. Sabe-se que o exercício físico produz efeitos muitas vezes inversos aqueles induzidos pelos glicocorticóides, no entanto, os efeitos do exercício na musculatura esquelética e na pressão arterial em animais tratados com Dexa não estão totalmente esclarecidos. Além disso, tem sido sugerido que o óxido nítrico pode ter importante papel no controle da pressão arterial e da insulinemia, em contrapartida, poucos trabalhos têm investigado seu papel nos animais exercitados e tratados com Dexa. Portanto, será hipótese deste trabalho avaliar se o exercício físico pode ter algum benefício nos animais tratados com glicocorticóides. Ratos Wistar divididos em grupos Sedentário Controle, Sedentário tratado com Dexa, Treinado Controle e Treinado com Dexa serão submetidos a um treinamento físico (TF) em esteira por 8 semanas (1 h/dia, 60% cap. máx.). Após o TF, os animais serão submetidos a 10 dias de administração de Dexa (1mg/kg por dia, ip) ou placebo. Os ratos serão pesados e terão a pressão de cauda aferida semanalmente no período do TF e diariamente no tratamento. A glicemia será dosada no início, meio e no final do tratamento. Será retirado sangue para dosagem da insulina. A gordura epididimal, intraperitoneal e os músculos sóleo e tibial anterior serão pesados e congelados para futuras análises. A expressão da proteína eNOS nos músculos será avaliada por Western Blot. Os resultados serão analisados utilizando análise de variância de dois caminhos (ANOVA) seguida de post-hoc de Tukey, com nível de significância de p<0.05.