Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo biossintético de secolignanas em Peperomia glabella var. nervulosa

Processo: 06/61586-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2007
Vigência (Término): 30 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Massuo Jorge Kato
Beneficiário:Camila Alexandra Rodrigues
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/02176-7 - Conservação e uso sustentável da diversidade do Cerrado e da Mata Atlântica: diversidade química e prospecção de medicamentos potenciais - fase II, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Peperomia   Piperaceae

Resumo

As peperômias são espécies de plantas conhecidas amplamente pelo seu potencial ornamental, mas muito pouco conhecido com relação à composição de metabólitos secundários e processos biossintéticos associados. Entre os tipos de lignanas relatados em algumas espécies de peperômias encontram-se as peperominas, que são seco-lignanas cuja biossíntese nunca foi investigada. Uma hipótese a ser avaliada nesse projeto é baseada na co-ocorrência de lignanas ariltralônicas e secolignanas em espécies de Virola. As secolignanas de Virola poderiam ser resultantes de uma reação retro Friedel-Crafts a partir das lignanas ariltetralônicas. Considerando-se que estudos preliminares realizados no LQPN do IQUSP com Peperomia glabella foi caracterizada a peperomina D, objetiva-se isolar outros constituintes que poderiam fornecer indícios para a caracterização desta via biossintética. Pretende-se ainda investigar a conversão de possíveis precursores da rota fenilpropanoídica em peperominas utilizando-se precursores marcados (L-fenilalanina [U-14C]) e outros através de administrações in vivo ou enzimas solubilizadas. Com a obtenção destes dados pretende-se avançar alguns passos para o esclarecimento da via biossintética destas seco-lignanas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.