Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da biossíntese e das propriedades antioxidantes de biflavonoides de Araucaria angustifolia

Processo: 04/15721-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2005
Vigência (Término): 31 de julho de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Massuo Jorge Kato
Beneficiário:Lydia Fumiko Yamaguchi
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/02176-7 - Conservação e uso sustentável da diversidade do Cerrado e da Mata Atlântica: diversidade química e prospecção de medicamentos potenciais - fase II, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Flavonoides   Araucaria angustifolia   Biossíntese   Peroxidases

Resumo

Flavonóides são amplamente distribuídos no reino vegetal, porem os biflavonóides, dímeros de flavonóides formados através de reações de acoplamento oxidativo, apresentam distribuição restrita em espécies primitivas, tais como em Ginkgo biloba e Araucária. Os biflavonóides de ocorrência em Araucária angustifólia são dímeros ligados pelas posições C3' e C8', que compreendem o grupo das amentoflavonas. Foram isolados seis biflavonóidcs principais de suas folhas e estes apresentaram potentes atividades antioxidantes e fotoprotetores. Outras propriedades biológicas incluem a atividade antiinflamatória, antiartrite e vasodilatadora. Apesar da diversidade estrutural dos biflavonóides e do crescente interesse pela atividade farmacológica muito pouco foi elucidado em relação à biossintese destes compostos. Existem somente sugestões para os possíveis precursores e para o mecanismo da dimerização que, por envolver a reação de acoplamento oxidativo, supõe-se que seja resultante da ação de uma peroxidase, porém nenhum estudo foi realizado visando isolar e caracterizar a(s) enzima(s). Assim, o projeto objetiva o estudo biossintético da formação de amentoflavonas em A. angustifólia visando identificar o sistema enzimático. Tais resultados poderão contribuir para a compreensão das funções endógenas dos biflavonóides e, quiçá, de aspectos evolutivos envolvidos na relativa restrita ocorrência de tais dímeros no reino vegetal. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.