Busca avançada
Ano de início
Entree

Osteogenese in vitro em amostras de titanio porosas, submetidas ao tratamento biomimetico.

Processo: 07/59909-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Bioengenharia
Pesquisador responsável:Luana Marotta Reis de Vasconcellos
Beneficiário:Evelyn Luzia de Souza Santos
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOSJC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Nanotopografia   Osteogênese   Titânio   Osteoblastos

Resumo

O objetivo deste estudo será avaliar e comparar a adesão, proliferação e viabilidade celular, o conteúdo de proteína total, a atividade de fosfatase alcalina e a quantificação de formações nodulares de matriz mineralizada em amostras de titânio com diferentes nanotopografias, poroso ou usinado, submetidas ou não ao tratamento biomimético (TB). Serão confeccionadas, por metalurgia do pó, 60 amostras de titânio puro grau 2, que serão divididas em 4 grupos: a) grupo 1: controle - titânio usinado; b) grupo 2:40% de porosidade com poros de 300pm; c) grupo 3: amostras do G1 submetidas ao TB; d) grupo 2: amostras do G2 submetidas ao TB. A superfície de todas as amostras será caracterizada por meio de análise metalográfica, visando determinar a quantidade, área, morfologia e Interligação dos poros. Nas amostras com TB, também será realizada a espectrometria por dispersão de energia (EDS), para determinar os elementos químicos presentes. Células osteogênicas serão obtidas da calvária de ratos recém-nascidos e a adesão celular será avaliada após 24 horas. Para a análise da proliferação, as células serão cultivadas 3,7 e 10 dias e a viabilidade celular será detectada pelo azul de Trypan. O conteúdo de proteína total e atividade de fosfatase alcalina serão mensurados aos 7,10 e 14 dias. As culturas serão coradas com vermelho de Alizarina S a 2% e aos 7,10,14 dias será detectada a matriz de mineralização. Os dados da análise metalográfica serão submetidos ao teste de Mann-Whitney e os dados das análises celulares serão comparados por ANOVA e teste t-Student, (p<0,05). (AU)