Busca avançada
Ano de início
Entree

Modificações estruturais das células enteroendócrinas intestinais após transposição ileal em ratos normais

Processo: 10/15815-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2010
Vigência (Término): 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Joao Luiz Moreira Coutinho de Azevedo
Beneficiário:Marcelo Casciato Carlini
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia bariátrica

Resumo

Modificações estruturais das células enteroendócrinas intestinais após transposição ileal em ratos normaisPrimariamente idealizadas com a finalidade de redução de peso, diversas técnicas cirúrgicas bariátricas e metabólicas mostraram-se eficazes no tratamento da síndrome metabólica, especialmente do diabetes mellitus tipo 2 (DM2),. Estudos mostraram que a maioria dos pacientes obesos e diabéticos submetidos ao tratamento cirúrgico apresentaram melhora do DM2 muito antes de uma perda ponderal significativa, pois as alterações anatômicas ocasionavam a liberação de hormônios incretínicos que atuavam na produção e sensibilidade insulínica e, consequentemente, no metabolismo dos carboidratos. A produção destes hormônios, principalmente o hormônio similar ao glucagon tipo 1 ( Glucagon like peptide type 1 - GLP-1), ocorre nas délulas L por estímulo gerado pela presença de nutrientes na luz intestinal. As células L são encontradas sobretudo no íleo e no cólon proximal e fazem parte do sistema enteroendócrino, que está envolvido no mecanismo de controle da fome/saciedade, motilidade gastrintestinal, sensibilidade periférica à insulina, metabolismo glicídico e lipídico.Em estudo onde foi realizada a transposição ileal em animal de experimentação foi demonstrado a ocorrência de perda ponderal e menor ingestão alimentar, sem alteração na absorção de nutrientes. Foi atribuída assim uma perda de peso por uma possível interferência de hormônios anorexígenos como o GLP-1 e o peptídeo YY (PYY). O PYY é um hormônio produzido nas células L do íleo e também exerce efeito incretínico. O projeto tem como objetivo avaliar os efeitos de uma técnica operatória destinada a interferir na função enteroendócrina do hospedeiro e investigar as modificações histológicas ocorridas na mucosa, especialmente nas células L intestinais, num segmento de íleo distal interposto ao jejuno proximal em ratos normais.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)