Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão do retrotransposon retrolyc1a em Nicotiana tabacum submetido a condições de estresse abiótico

Processo: 05/51172-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2005
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2005
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Marie-Anne van Sluys
Beneficiário:Juliane Karine Ishida
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/02851-9 - Elementos de transposição e seu impacto no genoma de bactérias e plantas, AP.TEM
Assunto(s):Retroelementos

Resumo

Os retrotransposons são elementos transponíveis capazes de se mobilizar no genoma através de uma molécula de RNA. A transposição destes elementos pode alterar a função e a estrutura dos genes, sendo que sua alta taxa no genoma exige um ajuste fino da sua atividade para não comprometer a viabilidade do hospedeiro. Retrolyc1 é um retrotransposon isolado de uma biblioteca genômica de L. peruvianum (Solanaceae), sendo membro da família de Tnt1, um elemento já bem caracterizado em fumo (N. tabacum). Existe uma alta similaridade ao longo de quase toda a seqüência destes elementos, com exceção apenas da região U3 contida em sus LTR (Costa et al., 1999). Esta região é responsável pelo controle da transcrição, o que indica a existência de diferentes controles entre os elementos Tnt1 e Retrolycl. A análise das seqüências de Retrolyc1 indicou a presença de duas subfamílias (Retrolyc1A e B) que diferem entre si pela presença ou ausência de motivos repetidos na região U3 (Araujo et al., 2001). Estando neste fato a importância de verificar se estas regiões estão envolvidas na modulação da expressão de Retrolyc1. Analisaremos como diferentes regiões U3A (com2 e3MRs) controlam a expressão do retrotransposon Retrolyc1 sob injúria mecânica. Usaremos como estratégia plantas de fumo transformadas, contendo as construções de fusão da região promotora U3 com GUS. Realizaremos em paralelo experimentos de validação das condições em plantas selvagens do gênero Lycopersicon, utilizando como técnica Northern blot e Real Time-PCR. (AU)