Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação imunomoduladora da própolis sobre a atividade natural "killer" no modelo de carcinogênese química experimental do cólon

Processo: 01/07497-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2001
Vigência (Término): 31 de março de 2002
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:José Maurício Sforcin
Beneficiário:Orlando Cavalari de Paula
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Azoximetano   Transformação celular neoplásica   Citotoxicidade   Própolis   Imunomodulação

Resumo

O câncer de cólon é uma das principais causas de morte por neoplasias, principalmente em países do ocidente. Dentre as células envolvidas na resposta imune, as células natural killer (NK) constituem uma das primeiras linhas de defesa do organismo contra tumores. Inúmeros esforços têm sido compreendidos para a terapia e quimioprevenção do câncer, principalmente a identificação de compostos naturais que possam evitar, reverter ou prevenir o desenvolvimento e a recorrência de neoplasias. A própolis tem atraído a atenção de pesquisadores ultimamente, por ser um produto natural e de fácil acesso. Este produto apícola apresenta inúmeras propriedades biológicas e terapêuticas, e sua atividade anticancerígena tem sido investigada, bem como o papel do sistema imune em modelos de carcinogênese. A necessidade de se conhecer o potencial de utilização da própolis como produto modulador da resposta imune despertou nosso interesse em avaliar a atividade citotóxica de células NK de ratos, no modelo de carcinogênese química experimental do cólon, a curto e longo prazo, contra células tumorais. Ademais, analisaremos a ação da própolis sobre a atividade NK, neste mesmo modelo, concomitante e posterior à administração do agente indutor. Este estudo fornecerá novas contribuições, pois não há informações sobre o tratamento a longo prazo com própolis e seus efeitos na resposta imune. (AU)