Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da expressão da proopiomelanocortina no núcleo do trato solitário e sua modulação pelo eixo hipotálamo-hipófise-adrenal

Processo: 05/56871-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2006
Vigência (Término): 31 de agosto de 2007
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Lucila Leico Kagohara Elias
Beneficiário:Henrique Augusto Cantareira Sabino
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/00327-8 - Estudo integrado do equilíbrio hidrossalino: aspectos fisiológicos e moleculares da regulação neuroendócrina e avaliação de aspectos clínicos e experimentais, AP.TEM
Assunto(s):Leptina   Jejum

Resumo

A homeostase energética é regulada por mecanismos em longo prazo e curto prazo. Os sinais em curto prazo ou agudos controlam o início e o término de uma refeição, e incluem hormônios gastrointestinais, entre estes a colecistoquinina (CCK). A CCK possui efeitos anorexígenos, participando na modulação da saciedade, como verificado em roedores e em humanos. A sinalização da CCK ocorre por meio de aferências vagais, atingindo o tronco cerebral, mais especificamente, os neurônios do núcleo do trato solitário (NTS). A CCK ativa neurônios que expressam proopiomelanocortina (POMC), neuropeptídeo cuja clivagem deriva o a-MSH, que por sua vez tem potente ação de inibição do comportamento alimentar. Adicionalmente, a CCK parece modulara atividade de neurônios do núcleo arqueado. No presente estudo, avaliaremos a influência da atividade do eixo hipotálamo hipófise-adrenal na expressão de c-fos e a-MSH no NTS e arqueado induzida pela administração de CCK. Avaliaremos, também, a participação da atividade do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal no comportamento alimentar após o tratamento com CCK. Este estudo será realizado em animais intactos e adrenalectomizados. Para a determinação da expressão de c-fos e a-MSH utilizaremos a técnica de imunohistoquímica. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.