Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do óxido nítrico na antinocicepção induzida pela ansiedade em camundongos expostos ao LCE

Processo: 01/14586-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2002
Vigência (Término): 31 de março de 2003
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Ricardo Luiz Nunes de Souza
Beneficiário:Janine de Carvalho Pinto Cabral
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Óxido nítrico   Analgesia   Ansiedade

Resumo

A exposição de animas a estímulos aversivos elida a apresentação de comportamentos defensivos, ativação autonômica e antinocicepção. Dentre os modelos animais propostos para a avaliação da relação entre o estado emocional de medo/ansiedade e a antinocicepção, o do labirinto em cruz elevado (LCE) tem recebido destaque na última década. Demonstrações de que a exposição ao LCE induz antinocicepção em ratos e camundongos levantam uma série de questões quanto aos mecanismos envolvidos na mediação dos comportamentos defensivos e da resposta antinociceptiva. Neste sentido, compostos com propriedades ansiolíticas ou analgésicas têm sido empregadas para a avaliação da interação entre os dois estados - ansiedade e dor. O presente estudo tem como propósito investigar os efeitos da inibição da óxido nítrico sintetase (NOS), enzima de síntese do óxido nítrico, sobre os índices de ansiedade (% entradas e % tempo nos braços abertos) e sobre a resposta nociceptiva (avaliada pelo teste de contorções abdominais e/ou pelo teste tail-flick) em camundongos expostos ao LCE. Os inibidores de NOS estudados serão L-NOARG (potente inibidor) e D-NOARG (isômero menos ativo), injetados na matéria cinzenta periaquedutal (estrutura pertencente ao sistema de defesa dos animais). O confinamento nos braços abertos (situação inescapável) será também realizado para verificar a influência da intensidade do estímulo aversivo sobre a magnitude da resposta nociceptiva. (AU)