Busca avançada
Ano de início
Entree

Utilização do modelo de S. cerevisiae na caracterização funcional de genes metilados em câncer de cabeça e pescoço

Processo: 05/59467-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2006
Vigência (Término): 31 de agosto de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Sandro Roberto Valentini
Beneficiário:Cleslei Fernando Zanelli
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/09497-3 - Identificação e caracterização funcional de marcadores moleculares envolvidos no processo de formação de tumores de cabeça e pescoço por meio da análise do padrão diferencial de metilação, AP.TEM

Resumo

A metilação de ilhas CpG em regiões regulatórias de vários genes tem sido descrita como um processo importante no silenciamento de genes supressores de tumor e diretamente envolvida no processo de carcinogênese de uma série de tumores. O estudo desses genes afetados pela metilação em tumores visa a procura de marcadores moleculares para o diagnóstico, prognóstico e tratamento de tumores, e também a caracterização do seu papel no processo biológico do câncer. O nosso grupo de pesquisa está participando de um Projeto Temático que visa a identificação de genes metilados em tumores de cabeça e pescoço (processo 03/09497-3) e propomos aqui a utilização do modelo de S. cerevisiae como ferramenta na análise funcional destes genes. A levedura S. cerevisiae constitui um modelo de eucarioto bastante versátil principalmente por possibilitar uma série de análises genéticas e de biologia molecular e celular. Dessa maneira, propomos a utilização do modelo de S. cerevisiae na análise dos genes identificados como diferencialmente metilados em câncer de cabeça e pescoço de duas maneiras: para aqueles genes com homólogos nesta levedura, utilizá-la como modelo de eucarioto para análise funcional do gene em levedura; e, para aqueles sem homólogo, utilizar o sistema de duplo-híbrido em levedura e ensaios de "pulldown" para a identificação de interações físicas proteína-proteína. (AU)