Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação antiproliferativa e citoxica de inibidores potenciais de hipusinação do fator de início de tradução 5ª (eIF5A)

Processo: 05/60029-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2006
Vigência (Término): 30 de abril de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Sandro Roberto Valentini
Beneficiário:Maicon Segalla Petrônio
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/07932-7 - Busca de compostos naturais antitumorais, antioxidantes, antiinflamatórios, antidiabéticos, inibidores de acetilcolinesterase e mieloperoxidase no Cerrado e na Mata Atlântica, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Citotoxicidade

Resumo

A proliferação celular é um fenômeno complexo que envolve a participação de diferentes vias celulares. A alteração de algumas dessas vias pode levar à tumorigênese. O estudo do bloqueio de diferentes vias celulares que possam estar envolvidas no desenvolvimento neoplásico é de grande valia para o desenvolvimento de inibidores, assim como de novas estratégias terapêuticas antitumorcus. O fator de início de tradução 5A (elF5A) tem sido relacionado à proliferação celular. Este fator é a única proteína descrita que possui o aminoácido incomum hipusina, formado através de uma modificação pós-traducional, chamada hipusinação, em um resíduo específico de lisina. A conversão de lisina em hipusina na estrutura de elF5A é fundamental para sua funcionalidade. Desta maneira, o bloqueio do processo de hipusinação tem sido relacionado diretamente à inibição da proliferação celular. Algumas substâncias são capazes de bloquear esta modificação pós-traducional, destacando-se a ação antiproliferativa de mimosina, desoxiespergualinas e GC7 (A/'-guanil-1,7-diaminoeptano). Por outro lado, alguns produtos naturais provenientes de biomas brasileiros apresentam pronunciada ação citotóxica e elevada similaridade estrutural com esses inibidores de hipusinação de elF5A. No presente estudo pretende-se sintetizar híbridos moleculares de GC7 e prenilguanidinas obtidas de Pterogyne nitens (Leguminosae), os quais podem apresentar ação antiproliferativa potencializada, bem como comportar-se como inibidores de hipusinação. (AU)