Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos de concentrações de ácido indolbutírico no enraizamento de estacas de guanandi (Calophyllum brasiliense cambess.) Clusiaceae, em hidroponia e substrato

Processo: 07/54115-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2007
Vigência (Término): 31 de outubro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Silvicultura
Pesquisador responsável:Sérgio Valiengo Valeri
Beneficiário:Maridélia Rios Gonzaga
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Mudas (plantas)   Estacas (plantas)   Propagação vegetal   Clusiaceae   Hidroponia

Resumo

Objetiva-se determinar a necessidade e a dose apropriada de ácido indolbutírico no enraizamento de estacas de guanandi (Calophyllum brasiliense), Clusiaceae, nos sistemas de hidroponia e substratos sólidos. Serão usadas cerca de 150 mudas de guanandi produzidas em vasos de 5 L de solo (60 mudas) e tubetes de 50 cm3 (90 mudas) a partir de sementes. Serão realizados experimentos no Viveiro da UNESP/FCAV, Campus de Jaboticabal - SP e no Viveiro Camará, Ibaté - SP. O material vegetal básico será constituído de mini-estacas de 5 cm coletadas de brotações das mudas. Em Jaboticabal, as estacas serão colocadas para enraizar no sistema de hidroponia, e no viveiro Camará em tubetes contendo substrato. No sistema de hidroponia as bases das estacas serão tratadas pelo método de imersão rápida (IR), durante 5 segundos, em solução alcoólica (50% de álcool) nas seguintes concentrações de ácido indolbutírico (AIB): 0,1000, 3000 e 5000 mg L-1 e imersão lenta (IL) na mesma solução alcoólica (5% de álcool) durante 14 horas, nas seguintes concentrações de AIB: 0, 100, 200 e 400 mg L-1. As bases das estacas a serem plantadas em tubetes serão tratadas pelo método da imersão lenta (0, 100, 200 e 400 mg L-1 de AIB) e polvilhamento em talco, denominado de via pó (VP), nas doses de 0, 1000, 3000 e 5000 mg L-1 de AIB. O ambiente de enraizamento será o de casa de vegetação sob nebulização intermitente. Após o enraizamento, as mudas irão para casa de sombra por 30 dias e em seguida permanecerão a pleno sol. Serão realizadas avaliações de porcentagem de enraizamento das estacas e crescimento das mudas produzidas. (AU)