Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel imunomodulador de células dendríticas estimuladas com DNA PU antígenos de Mycobacterium tuberculosis na TB experimental

Processo: 06/04677-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2006
Vigência (Término): 31 de julho de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Vânia Luiza Deperon Bonato
Beneficiário:Rubens Rodrigues dos Santos Junior
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Macrófagos   Tuberculose   Vacinas   Terapia genética   Mycobacterium tuberculosis

Resumo

Na última década, nosso grupo descreveu uma série de trabalhos que mostraram o papel protetor da vacina DNA-hsp65 em modelos de tuberculose experimental murina (Lowrie et al., 1997; Bonato et al., 1998; Silva et al., 1999; Silva, 2004). Paralelamente ao efeito profilático, constatamos também que animais previamente infectados e tratados com esta vacina foram capazes de restringir significativamente o processo infeccioso experimental (Lowrie et al., 1999; Bonato et al., 2004). Atualmente, a situação da TB mundial é extremamente alarmante se considerarmos que um terço da população encontra-se infectada por Mycobacterium tuberculosis, 5-10% destes indivíduos desenvolverão a forma ativa da doença em alguma fase de vida e 2 milhões morrem ao ano (Who, 2005). Neste sentido, os resultados de nosso trabalho são animadores pelo fato de termos em mãos a possibilidade de trabalhar com o desenvolvimento de uma preparação vacinal que venha a ser usada também para tratar indivíduos doentes. Entretanto, também foi descrito recentemente que a eficácia protetora das vacinas de DNA não se apresentou promissora quando avaliada em modelos com primatas não humanos e em ensaios clínicos de fase I (Orme, 2003; 2005). Neste contexto, a otimização das vacinas de DNA é essencial para a continuidade de estudos que visem na utilização destas preparações, seja como medida profilática ou terapêutica. As células dendríticas são descritas como as mais eficientes células apresentadoras de antígenos profissionais. Promovem a ativação de respostas imunes mediadas por células T e B (Banchereau et al., 1998). Seu potencial como terapia imune contra câncer vem, nos últimos anos, sendo objeto de vários estudos (Barbuto et al., 2004; O'Neill et al., 2004, Neves et al., 2005). Constituem um complexo sistema de células com relação à origem, diferenciação e função. As distintas populações e funções das células dendríticas que resultam na ativação de populações heterogêneas de linfócitos T configuram um dos temas imunológicos mais amplamente investigados atualmente (Banchereau et al., 1998).A vacina de DNA, uma ferramenta biológica que poderá ser de relevante função no tratamento da TB, se otimizada eficientemente, aliada à utilização de células dendríticas poderá resultar em estratégia mais eficaz de estimulação da resposta imune e ativação de linfócitos T. Deste modo, a proposta do presente projeto é tratar animais infectados com M. tuberculosis com CDs diferenciadas e estimuladas in vitro com DNA e/ou antígenos micobacterianos. (AU)