Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito neuromodulatório da adenosina sobre os níveis de óxido nítrico. mecanismos celulares importantes para o desenvolvimento da hipertensão?

Processo: 09/14900-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2010
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Debora Rejane Fior Chadi
Beneficiário:Daniela Debone
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Adenosina   Núcleo solitário   Hipertensão   Transmissão sináptica

Resumo

O nucleosídeo adenosina faz parte de um grupo de substâncias que agem como moduladoras endógenas, isto é, alteram a resposta celular a uma dada substância, possibilitando a regulação da atividade fisiológica em muitos órgãos e tecidos. Atualmente, esta substância está sendo extensivamente pesquisada para fins terapêuticos, especificamente os relacionados ao controle cardiovascular.Sabe-se que o núcleo do trato solitário (NTS) é um dos mais importantes centros neurais relacionados ao controle cardiovascular possibilitando ajustes instantâneos da freqüência cardíaca e da pressão arterial em diversas situações comportamentais atuando, desta maneira, na manutenção da homeostasia corporal. A adenosina, dentro do NTS, atua como um potente modulador da atividade hemodinâmica do sistema nervoso simpático. A ativação de seus receptores influencia diretamente a ação de outros neurotransmissores e receptores, tendo assim, uma potente ação modulatória sobre o controle cardiovascular. Sabe-se também que os receptores de adenosina estão aumentados no NTS de ratos espontaneamente hipertensos (SHR), sugerindo um papel importante deste nucleosídeo sobre a gênese da hipertensão. O óxido nítrico (NO) também tem um papel importante no controle cardiovascular dentro do NTS atuando como um agente hipotensor. Sabe-se também que a síntese de NO está alterada no NTS de ratos SHR, sugerindo uma contribuição importante desta molécula sobre o controle da pressão arterial e desenvolvimento da hipertensão.A relação entre o NO e adenosina, no sistema periférico, já está bem estabelecida pela literatura. Sabe-se que a adenosina estimula a produção de NO. No entanto, esta relação dentro do NTS é pouco explorada. Neste sentido, o objetivo de nosso trabalho será analisar o efeito modulatório dos receptores de adenosina sobre a liberação de Óxido Nítrico em cultura de células provenientes da porção dorsomedial do tronco encefálico, região onde o NTS está localizado, de ratos normotensos (WKY) e espontaneamente hipertensos (SHR), através de análise por microscopia confocalNossa hipótese é que a adenosina poderia aumentar a produção de NO em células do NTS apontando, assim, esta molécula, como um importante agente farmacológico para o controle cardiovascular.