Busca avançada
Ano de início
Entree

Possível participação do fator sexo em um modelo animal de Discinesia Tardia

Processo: 01/02107-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2001
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2001
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Roberto Frussa Filho
Beneficiário:Christian Grassl
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Comportamento animal   Discinesia tardia   Dopamina

Resumo

Funcionalmente incapacitante e esteticamente desfigurante, a discinesia tardia é considerada não apenas o mais importante efeito colateral decorrente da administração prolongada de drogas antipsicóticas, como a principal desordem iatrogênica do movimento. Caracterizada por hipercinesias buco-linguo-mastigatórias, a discinesia tardia tem como um de seus fatores de risco o sexo feminino. Todavia, muitas das conclusões obtidas até o momento são contraditórias e/ou passíveis de importantes críticas metodológicas, como por exemplo, a não consideração da importante interação sexo/idade na discinesia tardia. Paralelamente, evidências recentes têm sugerido uma importante participação do estresse oxidativo lia fisiopatologia da discinesia tardia. Nesse aspecto, flutuações nos níveis de estrógeno, hormônio com propriedades antioxidantes, poderiam estar relacionadas ao efeito do fator sexo nessa desordem do movimento. É, pois, proposição deste projeto de Iniciação Científica principiar a investigação da possível participação do fator sexo em um modelo animal de discinesia tardia: a discinesia orofacial induzida pela administração repetida de reserpina. Nesse contexto, possíveis interações entre os fatores sexo e idade, bem como a influência de estrógenos e alterações no estresse oxidativo cerebral também serão considerados experimentalmente. (AU)