Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos da invasão de células em cultura por formas amastigotas extracelulares de Trypanosoma Cruzi: possível envolvimento da proteína amastina como modulador negativo da invasão

Processo: 07/57440-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Renato Arruda Mortara
Beneficiário:Mário Costa Cruz
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/61450-0 - Estudos moleculares do Trypanosoma cruzi e de sua interação com células e fatores do hospedeiro in vitro e in vivo, AP.TEM
Assunto(s):Trypanosoma cruzi   Invasão celular

Resumo

Formas amastigotas extracelulares de Trypanosoma cruzi provenientes de T. cruzi) como G e Tulahuen, apresentam alta infectividade em células de cultura quando comparadas às cepas tradicionalmente mais infecciosas como V e CL (T. cruzi II). Neste contexto vale a pena ressaltar que em tripomastigotas metaciclícos que apresentam baixa infectividade em células hospedeiras in vitro, invariavelmente expressam altos níveis de gp90, uma molécula estágio específica que modula negativamente invasão celular in vitro. Através de microarranjo de DNA proveniente de RNAm polissomal de amastigotas extracelulares das cepas G e CL, foi identificado uma proteína de 21 kDa que também está envolvida na invasão celular por formas amastigotas das cepas G e 588 Contudo ainda não foi investigada no laboratório a possibilidade da existência de moduladores negativos da invasão que seriam mais abundantes nos amastigotas menos infectivos (cepa CL e Y). Para tanto, os resultados obtidos no microarranjo já realizado no laboratório poderão servir como banco de dados no processo de triagem de tais componentes. Sendo assim, a identificação de moléculas do parasita que estejam envolvidas no mecanismo de modulação negativa da invasão celular por formas amastigotas extracelulares torna-se uma etapa obrigatória para maior compreensão da biologia do T. cruzi. (AU)