Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação dos processos de ativação e desativação de proteinas pró e anti-fibróticas e as mudanças do colágeno tipo v nas doenças fibrosantes

Processo: 09/02199-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2009
Vigência (Término): 31 de março de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Edwin Roger Parra-Cuentas
Beneficiário:Heli Samuel Pinto Souza
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/53022-3 - Sinalizadores de lesão nas pneumonias intersticiais fibrosantes: impacto funcional e prognóstico, AP.JP
Assunto(s):Metaloproteinases   Escleroderma sistêmico   Morfometria   Matriz extracelular   Fibrose pulmonar idiopática   Patologia

Resumo

RESUMOA excessiva e descontrolada deposição de proteínas da matriz extracelular causada pela proliferação e ativação dos fibroblastos chama a atenção, sendo um ponto crucial nos processos de fibrose pulmonar. Neste sentido a regulação da biosíntese da matriz extracelular na fibrose pulmonar é alvo de muitos estudos.Em geral, o processo de fibrogênese secundário à lesão do tecido pulmonar é caracterizado por deposição de uma grande quantidade de colágenos na matriz extracelular. Durante este processo a ativação por parte dos tecidos inflamados das metaloproteinases, como da (matrix metalloproteinase, MMP-2) e MMP-3, enzimas capazes de clivar e expor diferentes tipos de colágeno tornando a alguns deles imunogênicos. Outro ponto importante no processo de fibrose é a participação da substâncias intersticiais como as proteoglicanas e glicoproteínas que cumprem papeis anda desconhecidos nestes processos.As glicosaminoglicanas e dentro essas a mais comum e importante o ácido hialurônico ou hialuronan (HA) apresenta varias funções principalmente ao influenciar a morfologia das fibrilas de colágeno, organizando-as e estabilizando-as. Sua interação com proteínas da matriz extracelular e com receptores da superfície celular podem regular muitos aspectos do comportamento das células, tais como a migração, a adesão célula-célula e a diferenciação celular.Já nas doenças neoplásicas o HA está envolvido na promoção da migração das células tumorais, auxiliando na perda de inibição por contato, comportamento típico dos tecidos normais. A migração das células tumorais na matriz extracelular rica em HA é mediada por receptores de superfície celular específicos como o CD44 e o receptor mediador de motilidade do HA (receptor for HA-mediated motility, RHAMM). O HA pode oferecer proteção às células tumorais contra o sistema imunológico e contra os agentes quimioterápicos, nas doenças fibrosantes pulmonares o HA pode aumentar a vida dos miofibroblastos e, por conseguinte perpetuar o contínuo depósito de fibras de colágeno na matriz extracelular. Estas alterações na síntese ou degradação do HA podem estar ligadas à alteração das Hialuronidases (HAases) enzimas que degradam o HÁ e por com seguinte estarem implicados nos processos fibrosos pulonares.OBJETIVOS1. Avaliação da matriz extracelular de nos processos de fibroses de pacientes com fibrose pulmonar idiopática (IPF) e esclerose sistêmica (SSc).2. Avaliação imuno-histoquímica da participação das metaloproteinases MMP-2, MMP-9, do TIMP-2 nos processos fibróticos pulmonares.3. Avaliação das hialuronidases (HA1, HA2, HA3) e do CD44 nos processos fibróticos pulmonares.