Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do emprego de soja micronizada na alimentação de cães

Processo: 05/55502-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2005
Vigência (Término): 31 de outubro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Aulus Cavalieri Carciofi
Beneficiário:Liliana Longo Borges
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Cães   Nutrição animal   Digestibilidade   Soja

Resumo

O mercado de alimentos para animais de estimação tem apresentado expressivo crescimento no Brasil, o que tem gerado uma crescente demanda de ingredientes por parte da indústria. Cães, animais carnívoros, são exigentes em relação à quantidade e qualidade protéica de suas dietas. Derivados de soja têm sido empregados em alimentos para cães, apesar de existirem poucos estudos disponíveis sobre seu aproveitamento para a espécie. Este estudo tem por objetivo avaliar o emprego de soja micronizada em rações extrusadas para cães. Serão fabricadas três rações extrusadas isonutrientes, nutricionalmente completas, tendo a soja micronizada, o farelo de soja ou a farinha de vísceras de frango como fontes protéicas principais. Estas serão submetidas a ensaios de digestibilidade com cães pelo método de coleta total, sendo aos animais mantidos em gaiolas metabólicas em inox para o procedimento. Serão determinados o consumo de nutrientes e os coeficientes de digestibilidade aparente da matéria seca, matéria orgânica, proteína bruta, extrato etéreo ácido, extrativos não nitrogenas e da energia bruta das rações, bem como a qualidade e produção de fezes dos cães para cada um do tratamento. O experimento seguirá um delineamento inteiramente casualizado, com 18 unidades experimentais (cães), e 03 tratamentos (fontes de proteína), totalizando 6 repetições por tratamento. As análises estatísticas serão conduzidas com auxílio do SAS. (AU)