Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da heme oxigenase-1 no processo de transdiferenciação epitelial-mesenquimal

Processo: 05/01871-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2005
Vigência (Término): 30 de setembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Georgia Daniela Marcusso Marques
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças urológicas   Nefropatias   Fibrose   Heme oxigenase-1   Transplantes

Resumo

A nefropatia crônica do enxerto (NCE) é um grande obstáculo no estabelecimento de longa sobrevida do transplante. A característica que mais se associa ao declínio da função renal, nesta patologia, é a fibrose túbulo-intersticial (FTI). Estudos recentes sugerem que alguns miofibroblastos intersticiais derivam de células tubulares renais que passaram pelo processo de transdiferenciação epitelial-mesenquimal (TEM). É incerto ainda o efeito das drogas imunossupressoras na evolução da TEM em receptores de transplante renal. A expressão do gene da heme-oxigenase-1 (HO-1), com atividades antiproliferativas, pode suprimir a transformação fibroblástica e limitar a NCE in vitro e in vivo, em rins de roedores. Subprojeto 1: Efeitos da hiperexpressão ou da indução da HO-1 sobre a TEM in vitro Objetivos específicos: Determinar o papel da expressão de HO-1 na TEM em células do epitélio tubular proximal renal. Desenho do estudo: Células imortalizadas humanas do epitélio tubular renal serão tratadas com drogas indutoras e inibidoras de HO-1, ou previamente transfectadas com HO-1, serão adicionadas às culturas antes e após indução de TEM. Subprojeto 2: Modulação da expressão de HO-1 por drogas imunossupressoras na TEM . Objetivos específicos: verificar a capacidade das drogas imunossupressoras em acelerar ou em retardar o processo de TEM in vitro, e seus possíveis efeitos sobre a expressão da HO-1. Desenho do estudo: Células imortalizadas humanas do epitélio tubular renal serão tratadas com drogas indutoras e inibidoras de HO-1, antes e após indução de TEM. Nas diferentes situações experimentais serão administradas as drogas imunossupressoras: rapamicina, micofenolato mofetil ou ciclosporina. Métodos propostos: Indução de TEM por TGF-b e por hipóxia; Constatação da TEM por microscopia confocal, imunocitoquímica e western blot; Ensaio de atividade enzimática da HO-1; Avaliação da expressão dos transcritos gênicos da HO-1, TGF-b1 e Smads 2/3 e 7 por PCR em tempo real e expressão protéica por western blot; Clonagem e transfecção da HO-1; Funcionalidade dos fibroblastos com ensaio de motilidade celular. Resultados esperados: esperamos que a hiperexpressão ou indução de HO-1 seja associada a de-diferenciação dos miofibroblastos a células epiteliais. (AU)