Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelagem geométrica de reservatórios fluviais com base na Formação Itaquaquecetuba, terciário da Bacia de São Paulo, SP

Processo: 04/14162-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2005
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2005
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Antonio Roberto Saad
Beneficiário:Rodrigo Zanao
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Terciário

Resumo

Arenitos fluviais, devido a estrutura relativamente simples de seu arcabouço cronoestraigráfico, através de perfis de raios gama, proporcionam um zoneamento de reservatórios e selantes para hidrocarbonetos, sendo este zoneamento bastante heterogêneo em seu aspecto geométrico. Para compreender os reservatórios de sub-superfície recorre-se à investigação em superfície, onde se buscam afloramentos correspondentes à própria unidade reservatório ou de "análogos" antigos e recentes. Dentro desta ótica, pretende-se que o arenito reservatório Itaquaquecetuba venha a constituir um análogo útil ao entendimento, desenvolvimento e produção de reservatórios fluviais. Desta forma, pode-se deduzir que o conhecimento de modelos fluviais é essencial para a melhor recuperação e produção de hidrocarbonetos nos campos petrolíferos. Para alcançar estes objetivos selecionou-se o porto de areia Itaquareia I, localizado no município de Itaquequecetuba, no qual a Formação Itaquaquecetuba, Terciário da Bacia de São Paulo, encontra-se com boas exposições. Nessa unidade pretende-se levantar perfis estratigráficos e coletar amostras para análises sedimentológicas que ajudarão no reconhecimento das fácies reservatórios, bem como na sua distribuição em área. Serão utilizados métodos geoestatísticos na simulação da continuidade lateral e vertical das principais fácies reconhecidas em cada ciclo de sedimentação. Posteriormente serão comparados os dados reais do sistema fluvial com os simulados obtidos com a geoestatística. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.