Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da albumina modificada in vivo por glicação avançada sobre a captação de LDL colesterol por macrófagos

Processo: 08/55665-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marisa Passarelli
Beneficiário:Alessandra Belickas Carreiro
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Insuficiência renal crônica   Diabetes mellitus   Produtos finais de glicação avançada   Albuminas

Resumo

O estresse carbonila é caracterizado pelo aumento de oxoaldeídos reativos, os quais favorecem a formação dos produtos avançados de glicação (AGE) ou glicoxidação. Estes se associam ao estabelecimento de outros fatores de risco, como dislipidemia, hipertensão, defeitos fibrinolíticos e inflamação, concorrendo para a gênese e progressão da aterosclerose, a qual é a principal causa de morbi-mortalidade na doença renal crônica e no diabete melito. A albumina é a principal proteína circulante modificada por glicação e seu fluxo para a íntima-média arterial está aumentado na disfunção endotelial e aterosclerose. Estudos preliminares de nosso grupo demonstraram que a albumina glicada in vivo, isolada do soro de pacientes portadores de diabete melito mal compensado, interfere na remoção de colesterol celular mediada por HDL, comprometendo o transporte reverso de colesterol. Nossa hipótese é de que a albumina modificada in vivo por glicação avançada possa afetar também a captação de LDL-colesterol por macrófagos, condicionando maior influxo de lípides a estas células, em associação ao prejuízo no efluxo de colesterol. Isto, em última instância, seria determinante para o balanço final de colesterol em macrófagos arteriais e, portanto, para a progressão da aterosclerose. A utilização de modelo experimental de uremia e diabete melito nos permitirá avaliar o grau de modificação da albumina por carboximetillisina frente a situações diferentes que condicionam a formação de AGE (aumento de substrato representado pela hiperglicemia e falha na detoxificação de intermediários reativos de glicação, típica da doença renal crônica) e seu impacto sobre o acúmulo de lípides em macrófagos. (AU)