Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência social sobre a aprendizagem do uso de ferramentas em um grupo de macacos-prego que apresenta o uso espontâneo de pedras para quebrar cocos

Processo: 09/11845-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Comparativa
Pesquisador responsável:Briseida Dôgo de Resende
Beneficiário:Mariana Peres de Carvalho
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/57618-5 - Influência social na resolução de problemas: um estudo a partir da perspectiva da percepção e ação, AP.JP
Assunto(s):Comportamento de utilização de ferramentas   Aprendizagem   Comportamento animal

Resumo

Apesar da importância dada à transmissão social de informações e à aprendizagem socialmente enviesada na literatura sobre primatas não-humanos, ainda não se tem uma clareza a respeito dos processos de aprendizagem envolvidos na transmissão social do uso de ferramentas. O presente projeto tem como proposta contribuir para o preenchimento desta lacuna. Trabalharemos com um grupo de macacos-prego do Parque Ecológico do Tietê que realizam a quebra espontânea do coco jerivá. O grupo será seguido e serão registradas todas as ocorrências de quebra de cocos utilizando uma filmadora digital, especialmente os episódios com indivíduos com idade inferior a 36 meses. Com esta idade, já houve a emergência deste comportamento. Além das pedras regularmente utilizadas como ferramenta para golpear cocos pedras ("martelos": peso variando entre 0.3 e 08 kg), serão colocadas, nos sítios de quebra, pedras de mesmo tamanho, porém "leves" (0.03kg) e, portanto, inadequadas para haver o rompimento do endosperma do coco. Com base nos registros de episódios espontâneos de quebra em que um indivíduo observa outro proficiente quebrando, verificaremos, em manipulação subseqüente, ao ter a oportunidade de executar a tarefa, quais objetos serão utilizados como martelo pelo observador e se correspondem ao que foi utilizado pelo alvo de observação. Também analisaremos se o tempo e a freqüência de observação a macacos proficientes e a proximidade mantida em relação a eles interferem na idade de emergência dos comportamentos vinculados à quebra de cocos.