Busca avançada
Ano de início
Entree

Microtração de dois cimentos resinosos auto-condicionantes (self-adhesive) sobre esmalte e dentina: eficiência de adesão e efeito do envelhecimento

Processo: 08/58059-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2009
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Clovis Pagani
Beneficiário:Henderson Luiz Malaquias
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOSJC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Cimentação   Cimentos de resina

Resumo

A odontologia restauradora tem sido modificada em diversos aspectos que parecem instituir novas regras às modalidades terapêuticas de restaurações indiretas, em especial as cerâmicas restauradoras, porém a incompatibilidade de união dos sistemas restauradores indiretos, em especial os cerâmicos, com as estruturas dentinárias, tem sido alvo de grande preocupação devendo o agente de fixação estabelecer uma proteção e vedação satisfatória, bem como uma junção confiável entre a cerâmica e a superfície do dente preparado, prevenindo possível sensibilidade pós-operatória ou fraturas na restauração. Tendo em vista a manutenção das propriedades acima citados, bem como a diminuição do tempo clínico e o risco de erros, os cimentos resinosos auto-condicionantes foram desenvolvidos, tendo como grande vantagem a diminuição dos passos operatórios e conseqüente praticidade para o cirurgião-dentista. Diante do que foi exposto o objetivo deste trabalho será avaliar a resistência de adesão, mediante teste de microtração de dois cimentos resinosos auto-condicionantes (self-etching) em esmalte e dentina, imediatamente após a cimentação e após termociclagem (12.000 ciclos). Serão utilizados 36 terceiros molares não cariados, estes serão separados em 4 grupos experimentais e dois grupos controle, segundo o cimento utilizado e o tratamento de superfície. Serão cimentados 36 blocos de resina, 18 em esmalte e 18 em dentina, nos respectivos dentes. Os cimentos resinosos auto-condicionantes de cura dual selecionados para os grupos experimentais serão: Rely-X Unicem (3M ESPE) e o Maxcem Elite (Kerr), e para o grupo controle será o Variolink II (Ivoclar Vivadent), cimento de cura dual não auto-condicionante. Os corpos de provas serão submetidos à teste de tração pelo aparelho de ensaio universal (EMIC DL-1000, EMIC, São José dos Pinhais, Brasil). Após esta etapa iremos analizar se ocorreu alguma fratura, com o microscópio óptico (Mitutoyo, Measuring Microscope MFA - Series 5051H, Suzhavo, Japão). As falhas serão classificadas de acordo com as seguintes modalidades: A) fratura adesiva ao longo da região de interface cimento-resinoso e dente, B) fratura coesiva ao longo do cimento resinoso, C) fratura coesiva ao longo do dente, e D) fratura mista (falha adesiva entre o cimento resinoso e o dente juntamente com fratura coesiva no cimento resinoso). Para a análise estatística do pTBST, será utilizado ANOVA 2 fatores com teste de comparação múltipla de Tukey, considerando os fatores cimento resinoso, termociclagem. (AU)