Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da atividade de hialuronidases solúveis ou encapsuladas em associação ou não com MK886

Processo: 07/04741-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2008
Vigência (Término): 31 de maio de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Lúcia Helena Faccioli
Beneficiário:Claudia da Silva Bitencourt
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/54855-0 - Toxinas animais: estrutura, função e aplicações biotecnológicas, AP.TEM
Assunto(s):Leucotrienos   Transformação celular neoplásica   Microesferas   Biotecnologia

Resumo

Os venenos e toxinas animais contribuem significativamente para o entendimento e conhecimento da fisiologia humana e são formados por uma complexa mistura de proteínas. Após uma picada, estes compostos podem provocar a perda da integridade tecidual local mediado por miotoxinas, metaloproteases e hialuronidases que facilitam a permeação sistêmica de toxinas. A permeação dos venenos se dá pelo rompimento da matriz extracelular composta por moléculas como fibronectina, laminina, colágeno, proteoglicanas e glicosaminoglicanas. Ácido hialurônico é uma glicosaminoglicana da matriz extracelular e substrato da enzima hialuronidase, presente na maioria dos venenos animais. As hialuronidases isoladas de peçonhas de animais são proteínas ou glicoproteínas in natura, e foram caracterizadas devido a sua capacidade de facilitar a difusão dos venenos. As funções biológicas descritas da hialuronidase são atuar sobre a matriz extracelular alterando sua composição e estrutura e aumentar a absorção de fármacos. Hialuronidases têm sido utilizadas na terapêutica na administração em conjunto com preparações intramusculares e subcutâneas, anestésicos, e no tratamento do infarto agudo do miocárdio. Recentemente tem havido interesse em administrar hialuronidase em conjunto com fármacos antitumorais para o tratamento do câncer. A literatura atual reporta uma série de evidências do papel de mediadores inflamatórios na carcinogênese sendo que, os leucotrienos, em especifico, estão relacionados com a promoção, progressão e metástase dos tumores. Uma provável estratégia na terapia do câncer constitui o bloqueio da via das lipoxigenases, o que pode ser feito, por exemplo, com MK 886. Este é um inibidor especifico da FLAP com ação antitumoral comprovada. Devido a grande mortalidade pelo câncer, principalmente no que se refere ao câncer de pulmão, novas abordagens terapêuticas poderiam trazer benefícios à população. Neste contexto, nossa proposta é o desenvolvimento de microesferas contendo MK886, circundadas por hialuronidase. Nossa hipótese é que a hialuronidase atuará sobre a matriz extracelular, permitindo o acesso do inibidor de leucotrieno ao tumor, que por sua vez deverá ser liberado de forma lenta, possibilitando a preservação de sua atividade. O trabalho será realizado em duas etapas. Na primeira, será feita a caracterização da atividade pró- inflamatória de hialuronidases solúveis isoladas do veneno das espécies Crotalus durissus terrificus e Tityus serrulatus. Na segunda, serão elaboradas formulações de microesferas de polímeros com hialuronidase e com ou sem MK 886, e avaliar atividade: a - in vitro, em cultura de células tumorais; b – in vivo, após inoculação intratraqueal. Os dados obtidos poderão além de contribuir para a elucidação do papel da hialuronidase, propor uma nova estratégia terapêutica para o tratamento de tumores, com resultados que possibilitem publicações científicas com significativo impacto. Além disso, poderão ser úteis para a elaboração de uma estratégia terapêutica para o tratamento de tumores.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PEREIRA, PRISCILLA A. T.; BITENCOURT, CLAUDIA S.; REIS, MOUZARLLEM B.; FRANTZ, FABIANI G.; SORGI, CARLOS A.; SOUZA, CAMILA O. S.; SILVA, CELIO L.; GARDINASSI, LUIZ G.; FACCIOLI, LUCIA H. Immunomodulatory activity of hyaluronidase is associated with metabolic adaptations during acute inflammation. Inflammation Research, v. 69, n. 1 NOV 2019. Citações Web of Science: 0.
BITENCOURT, CLAUDIA DA SILVA; DA SILVA, LETICIA BUENO; TARTARI PEREIRA, PRISCILLA APARECIDA; GELFUSO, GUILHERME MARTINS; FACCIOLI, LUCIA HELENA. Microspheres prepared with different co-polymers of poly(lactic-glycolic acid) (PLGA) or with chitosan cause distinct effects on macrophages. COLLOIDS AND SURFACES B-BIOINTERFACES, v. 136, p. 678-686, DEC 1 2015. Citações Web of Science: 10.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.