Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização funcional da telomerase em promastigotas e amastigotas de Leishmania amazonensis submetidas a diferentes condições de concentração de oxigênio

Processo: 09/54255-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 30 de setembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Maria Isabel Nogueira Cano
Beneficiário:Jomar Patricio Monteiro
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Anóxia   Hiperóxia   Telômero   Telomerase   Leishmania

Resumo

Leishmaniose é uma doença complexa causada por espécies do gênero Leishmania. Seres humanos são infectados quando picados por mosquitos flebotomíneos vetores infectados com o parasita. A doença tem epidemiologia mundial ampla, afligindo milhões e causando 70.000 mortes/ano. Uma vez injetados no hospedeiro, formas promastigotas são fagocitadas por macrófagos e diferenciam-se em amastigotas. Para sobreviver, o parasita precisa superar inúmeras barreiras como diferenciais de temperatura entre o inseto vetor e o hospedeiro, pH e mudanças nos níveis de concentração de oxigênio nos variados habitats que ocupa. Curiosamente, exposição dos parasitas a altas concentrações de oxigênio (hiperóxia) causam lesões irreversíveis à célula, reduz a capacidade do parasita de infectar macrófagos, bem como a progressão da doença em camundongos. Por outro lado, macrófagos expostos a condições de hipóxia apresentam maior resistência a Leishmania. Tanto situações de hipóxia como hiperóxia podem causar desestabilização mitocondrial e produção de espécies reativas de oxigênio que lesam o DNA celular, principalmente os telômeros e o DNA mitocondrial. Telômeros e proteínas associadas são essenciais para a sobrevivência do parasita e a manutenção da integridade genômica e nuclear. Em células humanas em condições de estresse oxidativo a telomerase migra do núcleo para a mitocôndria exercendo um efeito protetor no DNA mitocondrial. Neste contexto, pretendemos caracterizar o papel da telomerase e proteínas associadas nas diferentes formas de Leishmania amazonensis submetidas a variados níveis de oxigenação. Analisaremos especificamente a transcrição, tradução, atividade e localização celular da telomerase em parasitas submetidos a condições de hipóxia, normóxia e hiperóxia, bem como possíveis associações da Hsp83 e proteínas da maquinaria de reparo de DNA com a telomerase. (AU)