Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo eletrofisiologico dos efeitos de intoxicacao mercurial em retina de peixe.

Processo: 01/07328-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2001
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2002
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Dora Selma Fix Ventura
Beneficiário:Christiane Lopes Tanan
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Tartarugas   Retina   Peixes   Eletrofisiologia

Resumo

A intoxicação humana com mercúrio, decorrente de uso industrial ou de contaminação ambiental, prejudica muitas funções neurais, dentre as quais as funções sensoriais ligadas à visão, audição e tacto. Nos prejuízos visuais no ser humano, descobriu-se que a visão de cores e a de contrastes são muito afetadas, além de existir também queda da sensibilidade escotópica. Inexiste, contudo até o momento um modelo animal em que essas perdas visuais tenham sido estudadas no nível da retina. O presente, projeto propõe o uso da retina de peixe como modelo para o estudo das perdas visuais decorrentes da contaminação com metil mercúrio. Peixes estão expostos ao mercúrio em ambientes contaminados, como ocorre em muitos rios da bacia Amazônica, sendo até mesmo usados como indicadores biológicos de contaminação. Para o estudo do processamento cromático na retina de peixes normais e submetidos a contaminação com metil mercúrio serão obtidos registros eletrofisiológicos na retina externa. Serão estudadas as células horizontais monofásicas, bifásicas e trifásicas e verificadas possíveis alterações nas respostas oponentes dessas células. Paralelamente, a morfologia de neurônios da retina de peixes contaminados será também analisada. (AU)