Busca avançada
Ano de início
Entree

Pequena propriedade e cultivo familiar - contribuindo para a melhoria do padrão alimentar rural

Processo: 00/13384-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2001
Vigência (Término): 31 de maio de 2002
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Ignez Salas Martins
Beneficiário:Maria Raquel Venturini
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Exclusão social   Padrão alimentar

Resumo

Conforme o relatório final da pesquisa Saúde, Educação e Trabalho nos municípios de Monteiro Lobato e Santo Antônio do Pinhal, pode-se estabelecer uma aproximação entre o padrão alimentar da população estudada e a dieta dos bandeirantes e primeiros moradores das regiões rurais. Foi constatado também que se trata de um padrão alimentar monótono: ó arroz e o feijão são as bases principais das refeições e é relativamente baixo o consumo de frutas, verduras e legumes, refletindo situação alimentar de provável insuficiência de vitaminas e minerais. A carne é escassa na dieta da população. Além de monótona, a dieta é, muitas vezes, insuficiente em energia, fato que pode acarretar no surgimento de desnutrição protéico-energética, caracterizada principalmente pela baixa estatura. Outros problemas assolam o homem da zona rural estudada: a ineficiência da cesta básica como subsídio, o uso de técnicas agrícolas ultrapassadas e, principalmente, a falta de incentivos para os pequenos proprietários. Relaciona-se aos problemas do trabalhador rural a "transição econômica", a questão agrária no pais e o alto índice de migração urbana. Ao analisar o "universo" do homem do campo de maneira ampla e também no âmbito regional (neste caso os municípios de Monteiro Lobato e Santo Antônio do Pinhal), o presente projeto tem por objetivo rever na literatura a importância da presença da pequena propriedade destinada ao cultivo familiar e confrontar com o perfil produtivo dos municípios estudados. (AU)