Busca avançada
Ano de início
Entree

Retencao de proteses fixadas com cimentos de ionomero de vidro convencional, modificado por resina e cimento compomerico.

Processo: 01/04099-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2001
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2001
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Materiais Odontológicos
Pesquisador responsável:Fabio Martins
Beneficiário:Raquel Lorena Kuhn
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Resistência à tração   Prótese dentária   Cimentos dentários

Resumo

O estudo da retenção de próteses fixas é, até hoje, um assunto de interesse, tanto para clínicos quanto para pesquisadores. O objetivo deste trabalho é comparar e analisar a retenção de próteses fixas tipo coroa total, fixadas com cimento de fosfato de zinco (Grupo controle), cimento de ionômero de vidro convencional, modificado por resina e um novo cimento compomérico. Serão confeccionadas 40 coroas totais em liga de cobre-alumínio para seus respectivos preparos dentais, confeccionados através de torneamento, em molares hígidos humanos. Após a cimentação, conforme instruções dos respectivos fabricantes, os corpos-de-prova serão deixados 24 horas em estufa à 37 graus Celsius e 100% de umidade relativa, quando serão levados para ciclagem térmica em banhos de 5 e 55 graus Celsius, um minuto em cada banho por 24 horas, totalizando 720 ciclos. Os dentes preparados e suas respectivas coroas ficarão novamente 24 horas em estufa a 37 graus Célsius e 100% de umidade relativa, quando serão levados a máquina de ensaio universal para teste de resistência à tração. Após análise estatística dos resultados, os autores discutirão os resultados, chegando a conclusão do trabalho realizado. (AU)