Busca avançada
Ano de início
Entree

O emprego de clíticos como argumentos de verbos acusativos e dativos em textos jornalísticos da capital paulista nos Séculos XIX e XX

Processo: 07/08219-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Linguística Histórica
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Correa Ribeiro Torres Morais
Beneficiário:Ruthe Sales Carneiro
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/55944-0 - Projeto de história do português paulista (Projeto caipira), AP.TEM
Assunto(s):Diacronia   Morfossintaxe

Resumo

Como parte integrante da proposta intitulada Mudança gramatical no português de São Paulo: expressão pronominal e preposicional dos argumentos (que constitui um segmento do Projeto de História do Português Paulista/ PHPP- Projeto Caipira), este projeto visa ao exame dos pronomes clíticos empregados como argumentos de verbos acusativos e dativos em textos jornalísticos publicados na cidade de São Paulo, em um período que se estende do fim do século XIX a princípios do século XX. Esses textos pertencem tanto à imprensa tradicional quanto à chamada Imprensa Negra. Considerando-se os contextos mencionados, pretende-se averiguar se, no período em análise, o uso de clíticos é uma estratégia produtiva ou, como mostram os diversos estudos sobre o Português Brasileiro (PB), eles são, e em que proporção, substituídos por pronominais nulos ou por formas pronominais fortes introduzidas por preposição. Busca-se ainda descrever a colocação dos clíticos. Como se sabe, o PB caminhou na direção de se tornar uma língua que prefere a posição proclítica, sejam os verbos acompanhantes empregados tanto nas suas formas simples como complexas (e neste caso, a próclise prioriza os verbos principais), sejam eles tanto finitos como não finitos. O levantamento dos fatos gramaticais de variação e mudança morfossintáticas ocorridos nesse período possibilita ainda um estudo comparativo dos jornais da Imprensa Negra e da imprensa majoritária. Por fim, pretende-se examinar também a relação entre os fatos lingüísticos observados e aspectos sócio-históricos da realidade dos negros na capital paulista do século XIX e princípios do século XX.