Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel de Bocavirus humano na patogênese de adenoamigdalites crônicas

Processo: 09/52388-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de agosto de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Eurico de Arruda Neto
Beneficiário:José Luiz Proença Módena
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/50617-6 - Estudos sobre vírus emergentes incluindo arbovirus, robovirus, vírus respiratórios e de transmissão congênita, no Centro de Pesquisa em Virologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, AP.TEM
Assunto(s):Bocavirus humano   Carga viral   Reação em cadeia da polimerase em tempo real

Resumo

O bocavirus humano (HBoV) é um parvovirus recentemente identificado em associação com sintomas de infecção do trato respiratório. Esse vírus tem genoma de aproximadamente 5217 nucleotídeos com 3 "open reading frames" que codificam 4 proteínas (NS1, NP-1, VP-1 and VP-2). HBoV não é cultivável e tem sido detectado por PCR em amostras respiratórias de diversas partes do mundo, incluindo Austrália, América do Norte, Europa, Ásia e África, o que sugere uma distribuição global desse vírus. Entretanto, muito pouco se sabe sobre a sua biologia, incluindo mecanismos de patogenicidade. Não existem modelos experimentais de infecção in vivo por HBoV e não se conhece seus sítios replicativos. Recentemente foi relatada alta freqüência de detecção prevalência desse vírus em crianças com inflamação de adenóides e amígdalas encaminhadas para remoção cirúrgica desses tecidos, sugerindo a existência de uma relação entre HBoV e a hipertrofia adenoamigdaliana. Foi demonstrado também que HBoV pode ser detectado por PCR em tempo real em linfócitos desses tecidos. Sabe-se ainda que para o parvovirus bovino, as tonsilas nasofaringes e palatinas servem como sítio inicial de replicação viral. Desse modo, nós objetivamos, nesse projeto, determinar a freqüência, a carga viral e a presença de replicação de HBoV em pacientes com hipertrofia adenoamigdaliana. Nós pretendemos, ainda, clonar e expressar em grande quantidade a proteína VP2 desse vírus, de maneira que ela possa ser utilizada para produção de anticorpos anti-HBoV em coelho. Esses anticorpos serão utilizados em ensaios de imunohistoquímica, imunofluorescência e citometria de fluxo (FACS) para detecção de supostos nichos replicativos de HBoV nas adenóides e amígdalas de pacientes com inflamação crônica desses tecidos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PROENCA-MODENA, JOSE LUIZ; GAGLIARDI, TALITA BIANCA; DE PAULA, FLAVIA ESCREMIM; IWAMOTO, MARISA AKIKO; CRIADO, MIRIA FERREIRA; CAMARA, ATAIDE A.; ACRANI, GUSTAVO OLSZANSKI; LEITE CINTRA, OTAVIO AUGUSTO; CERVI, MARIA CELIA; DE PAULA ARRUDA, LUISA KARLA; ARRUDA, EURICO. Detection of Human Bocavirus mRNA in Respiratory Secretions Correlates with High Viral Load and Concurrent Diarrhea. PLoS One, v. 6, n. 6 JUN 20 2011. Citações Web of Science: 28.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.