Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo sobre a ação da proteína n recombinante do Hantavirus Araraquara sobre o aparelho cardiovascular de ratos

Processo: 05/51842-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2005
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luiz Tadeu Moraes Figueiredo
Beneficiário:Tabata Luna Garavazzo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:03/03682-3 - Estudos sobre arboviroses e viroses associadas a roedores, AP.TEM
Assunto(s):Hantavirus   Função cardiovascular

Resumo

Produziu-se em nosso Centro de Pesquisa em Virologia uma proteína recombinante em Escherichia coli utilizando o gene codificador da proteína do nucleocapsídio (N) do Hantavírus Araraquara. Este vírus tem por reservatório o roedor silvestre Bolomys lasiurus e transmitido ao homem por aerossóis, é o causador da grave Síndrome Pulmonar e Cardiovascular por Hantavírus (SPCVH). Até abril de 2005, ocorreram 530 casos desta doença emergente no Brasil e destes, 36 ocorreram na região de Ribeirão Preto, com uma letalidade de 50%. A fisiopatologia da SPCVH, particularmente quanto ao choque e a depressão da função cardíaca, é pouco conhecida. Evidências preliminares em miocárdio isolado de ratos sugerem que a proteína N de Hantavírus possa atuar deprimindo a função cardíaca. Neste trabalho de Iniciação Científica-pretendemos inocular em ratos de laboratório monitorados quanto a parâmetros cardiovasculares (pressão arterial, freqüência cardíaca, resistência vascular periférica e débito cardíaco), em experimentos adequadamente controlados, por via intravenosa, doses crescentes da proteína N recombinante do Hantavírus Araraquara. Os animais serão avaliados quanto aos parâmetros referidos e os dados devidamente analisados. Para tanto, contamos com a colaboração do Prof. Dr. Rubens Fazan Junior do Departamento de Fisiologia da FMRP-USP. (AU)