Busca avançada
Ano de início
Entree

Distribuição geográfica potencial de Cactaceae de florestas estacionalmente secas em cenários climáticos do passado

Processo: 10/06631-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fitogeografia
Pesquisador responsável:Ingrid Koch
Beneficiário:Adriana Helena Catojo Pires
Instituição-sede: Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Campus de Sorocaba. Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Quaternário   Modelagem   Pilosocereus

Resumo

Inúmeros trabalhos têm detectado a existência de conexões florísticas entre as florestas tropicais estacionalmente secas nas américas. Alguns autores sugerem que estas florestas seriam remanescentes de um contínuo florestal na América do Sul e utilizam o termo "Arco Pleistocênico" considerando que as alterações climáticas do pleistoceno acarretariam em mudanças na distribuição da vegetação. Neste caso, os períodos mais frios e secos poderiam ter contribuído para a existência de áreas disponíveis mais amplas. Estudos abordando a distribuição de espécies diversas nestas áreas encontraram muitas vezes padrões similares, dando sustentação à idéia de uma distribuição mais ampla no passado. No entanto, estudos filogeográficos têm apontado para eventos anteriores ao pleistoceno. Além disso, existem dados conflitantes que sugerem eventos mistos para explicar os padrões atualmente encontrados. O grupo de espécies de Cactaceae Pilosocereus aurisetus, é um elemento importante na diversidade das florestas secas e é bastante apropriado para testar a distribuição mais contínua da vegetação xerófita na América do sul durante o Quaternário. O presente estudo visa a produção de modelos paleoclimáticos para simular a distribuição de espécies de florestas estacionalmente secas em cenários climáticos do passado. Com isso pretende-se verificar se os padrões encontrados são coincidentes entre si e com as teorias vigentes sobre a ocupação destes habitats. Para este fim, serão gerados modelos da distribuição potencial das espécies do grupo P. aurisetus a partir de algoritmos que aliam informações provenientes de bases ambientais e de pontos conhecidos de ocorrência das espécies. Estes modelos serão projetados para cenários climáticos distintos.