Busca avançada
Ano de início
Entree

Pesquisa da frequência de ocorrência do vírus Culex Flavivirus em amostras de mosquitos do Gênero Culex

Processo: 10/08812-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Maurício Lacerda Nogueira
Beneficiário:Daiane Cristina Machado
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Flavivirus   Culex   Virologia

Resumo

RESUMO: No Brasil encontramos ecossistemas com uma grande diversidade e riqueza de animais e cidades grandes e densamente povoadas, infestadas por mosquitos, como os do gênero Culex. Esse contexto oferece condições para a ocorrência de muitas arboviroses, devido à presença, no ambiente silvestre, de animais que são reservatórios dessas viroses, e no ambiente urbano, dos mosquitos vetores. Como exemplos de arbovírus que possuem mosquitos do gênero Culex como vetores temos o vírus da encefalite Saint Louis (SLEV) e o vírus do Nilo Ocidental (WNV), que pertencem ao gênero Flavivirus. Os vírus desse gênero causam doenças em humanos e animais. Recentemente, flavivírus que não infectam ou causam doença em vertebrados, replicando somente em artrópodes têm sido descritos. O vírus Culex flavivirus é um exemplo desses flavivírus. Ele foi isolado de espécies de mosquitos do gênero Culex, primeiramente no Japão, em 2007, sendo também relatado na América do Norte e Central. Nesse projeto de pesquisa iremos monitorar a circulação de Flavivirus, por meio dos métodos de RT-PCR, PCR e Nested-PCR, que serão utilizados na análise de amostras de mosquitos fêmeas do gênero Culex, capturados no Parque Nacional do Pantanal de Mato Grosso e na cidade de São José do Rio Preto. Pesquisaremos a freqüência de ocorrência do vírus Culex flavivirus (CxFV) nas amostras coletadas em cada local e iremos comparar as freqüências de ocorrência desse vírus obtidas das amostras desses dois locais. Também iremos pesquisar a presença do vírus da encefalite Saint Louis (SLEV) e do vírus do Nilo Ocidental (WNV) nas amostras coletadas em cada local. Para tanto, será realizada extração de RNA viral de 100 pools de mosquitos Culex sp fêmeas adultos, que serão capturados em diferentes pontos de amostragens no Parque Nacional do Pantanal de Mato Grosso, e de 100 pools de mosquitos Culex sp fêmeas adultos provenientes de armadilhas de captura distribuídas em três diferentes áreas sócio-econômicas de São José do Rio Preto; seguida da pesquisa para Flavivirus através de RT-PCR, PCR e Nested-PCR; aplicação das amostras obtidas em gel de poliacrilamida 8%; fixação, coloração com nitrato de prata, revelação do gel; e visualização dos amplicons à luz branca, para a observação da presença ou ausência de amplificação viral.